Escolha uma Página

Ministro da Secretaria-Geral da Presidência vê ofensiva de militares da Marinha para evitar que ele assuma o Ministério da Defesa

Igor Gadelha
O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, general Luiz Eduardo Ramos, anda bastante irritado com a Marinha. O motivo, segundo aliados, seria uma suposta ofensiva de integrantes daquela força para tentar evitar que o general assuma o Ministério da Defesa nos próximos meses.
Ramos, como já noticiou a coluna, se articula para ser nomeado ministro da Defesa no lugar do também general Braga Netto. O atual titular da pasta deixará o cargo em abril para figurar como uma das opções de candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro em outubro.
Nas últimas semanas, porém, pipocaram uma série de notícias de que o nome de Ramos enfrentaria resistência dentro das Forças Armadas. Em conversa com aliados, o ministro disse acreditar que a informação teria sido “plantada” por integrantes da Marinha para prejudicá-lo.
Segundo pessoas próximas, Ramos também detectou fogo-amigo em alas do Exército. Esses grupos, dizem aliados do militar, estariam defendendo que o melhor nome para substituir Braga Netto seria o do general Augusto Heleno, atual titular do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).
Auxiliares de Bolsonaro dizem que Ramos já levou a reclamação ao presidente, principalmente sobre a Marinha. A avaliação no entorno do general é de que integrantes da força lançaram a ofensiva porque estão interessados em assumir o comando do Ministério da Defesa.
METRÓPOLES/montedo.com

Skip to content