Escolha uma Página

O exército da Suíça decidiu que militares estão proibidos de usar aplicativos de mensagens que não seja o Threema

João Paulo Martins
O exército da Suíça proibiu os militares do país de usarem aplicativos de mensagens como WhatsApp, Signal e Telegram. Em vez desses apps, a recomendação é que usem o software suíço Threema.
De acordo com a emissora australiana Sky News, as regras foram impostas para impedir que recrutas em serviço não exponham inadvertidamente informações militares a estrangeiros.
Os militares de cargos mais altos já usam a versão corporativa do Threema, informa o porta-voz do exército, Daniel Reist, à emissora.
Todos os aplicativos de mensagens afirmam usar criptografia (codificação contra hackers) de ponta a ponta, mas a Suíça teme que os provedores de serviço possam coletar dados que revelam quem enviou a mensagem para quem e quando.
O porta-voz diz à Sky News que a regra se aplica ao uso de aplicativos nos telefones particulares dos soldados enquanto eles estão em operações de serviço. Supostamente não há punições previstas para quem não atender à exigência.
Vale lembrar que a Suíça é um dos mais antigos países militarmente neutros do mundo. Embora não tenha participado de nenhuma guerra desde 1815, o país europeu obriga a todos os homens aptos a cumprirem o serviço militar.
Segundo Daniel Reist afirma à emissora australiana, o problema com os apps WhatsApp, Telegram e Signal surgiu durante as operações para apoiar os hospitais e o programa de vacinação durante a pandemia de covid-19.
O exército suíço está recomendando o Threema, aplicativo de mensagens pago criado na Suíça, criptografado de ponta a ponta e baseado em servidores locais. O exército suíço arcará com o custo de download para os recrutas, diz o porta-voz.
O WhatsApp e o Signal possuem servidores nos EUA, enquanto o Telegram, originalmente, foi criado na Rússia.
trendsbr/montedo.com

Skip to content