Escolha uma Página

Alguns setores das Forças Armadas acreditam que podem começar a se distanciar do bolsonarismo e mostrar independência entre militares

Wilson Lima
Integrantes das Forças Armadas ouvidos reservadamente por O Antagonista dizem que a carta pública do diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres (foto), divulgada no último sábado (8), refletiu a insatisfação de setores da caserna com o governo Bolsonaro.
Indicado, em janeiro de 2020, pelo presidente da República para presidir a agência, Barra Torres é contra-almirante da Marinha. Com mandato de cinco anos, sem possibilidade de recondução, ele não pode ser demitido por Bolsonaro.
Alguns setores da caserna acreditam que, com o gesto do presidente da Anvisa, vão poder se distanciar do bolsonarismo.
“Barra Torres tem independência para falar o que quiser e isso demonstra que Marinha, Exército e Aeronáutica não são forças auxiliares do Planalto”, afirmou um importante general do Exército a O Antagonista. “Esse gesto do Barra Torres mostra que as Forças Armadas não são formadas apenas por ‘Pazuellos’.”
O Antagonista/montedo.com

Skip to content