Escolha uma Página

Determinações do comandante-geral da Força, Paulo Sérgio Nogueira, vão de encontro ao que vem pregando Jair Bolsonaro

Uma diretriz do comandante-geral do Exército, Paulo Sérgio Nogueira, recomenda o retorno às atividades presenciais de militares e servidores somente após eles terem sido completamente vacinados contra Covid.
Pela portaria, editada hoje, os militares que não estiverem vacinados serão notificados pelo Departamento-Geral do Pessoal de cada unidade do Exército para a adoção de procedimentos específicos, já que a determinação de Nogueira limita as hipóteses em que integrantes da Força poderão trabalhar em regime presencial.
A recomendação do Exército vai de encontro ao que prega o presidente Jair Bolsonaro. Segundo o chefe do Poder Executivo, a vacinação deve ser opcional, não compulsória.
“A evolução da situação do combate à pandemia da COVID-19, inclusive com o avanço da vacinação, possibilita o estudo em direção ao retorno pleno da realização das atividades administrativas e operacionais, de preparo e emprego, no âmbito da Força, mantendo-se sempre como prioridade a preservação da saúde dos integrantes do EB [Exército Brasileiro] e dos contribuintes do Sistema de Saúde do Exército”, diz o comandante-geral na diretriz.
Além disso, a partir de agora, todos os militares que estiverem retornando de viagem internacional precisarão apresentar um exame PCR negativo antes de voltar aos quartéis e outra mudança determinada pelo comandante-geral é que as missões internacionais ainda não iniciadas vão passar por uma reavaliação em virtude da pandemia de Covid, assim como seminários, palestras e solenidades ou atividades que possam causar qualquer tipo de aglomeração.
O Antagonista/montedo.com

Skip to content