Escolha uma Página

O estado registrou o maior acumulado de chuvas para dezembro desde 1989. O número de mortos por conta dos temporais já chegou a 25.

G1 Vale do Paraíba e Região
Duas aeronaves e uma equipe do Comando de Aviação do Exército (CAvEx), em Taubaté (SP) estão no sul da Bahia em operação humanitária para ajudar as cidades que estão sofrendo com o acúmulo de chuvas em dezembro. O estado registrou o mês de dezembro mais chuvoso desde 1989.
O comando de Taubaté está na Bahia desde o dia 20 de dezembro. O Cavex enviou duas aeronaves, uma do modelo Jaguar e outra do modelo Pantera, além de 16 militares para auxiliar na operação humanitária.
Cerca de 136 municípios foram afetados pelos temporais. O grupo de Taubaté está em uma base em Vitória da Conquista, mas atua em outras cidades da região. Os miliares auxiliam na entrega de medicamentos, mantimentos, retirada de vítimas e facilita o acesso a áreas e comunidades distantes.
Ainda não existem previsão para que o grupamento retorne para a base de Taubaté.

Ainda não há previsão para que os militares retornem — Foto: Divulgação/Cavex

Chuvas
Ao todo, 25 pessoas morreram em decorrência das fortes chuva na Bahia. De acordo com a Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec), 91.258 pessoas estão desabrigadas ou desalojadas e 629.398 pessoas foram afetadas pela chuva em várias cidades, principalmente na região sul da cidaed. O número de feridos chega a 434. Ao todo, 136 cidades estão sob decreto de situação de emergência.

Maior acumulado de chuvas em 32 anos
Segundo o governo do estado, a Bahia registrou o maior acumulado de chuvas para dezembro nos últimos 32 anos.
Itamaraju, no sul do estado, foi o município onde mais choveu no Brasil em dezembro deste ano, com 769,8mm de chuva, segundo dados do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). Esse número representa mais que o quíntuplo da climatologia deste mês (148,0mm).
A climatologia da chuva entre setembro e dezembro em Itamaraju é de 499,7mm; em Ilhéus é de 434,4mm; e em Porto Seguro é de 507,7mm. Logo, nesse período, as chuvas nessas regiões estão bem acima da média.
Segundo o meteorologista do Inema, Mauro Bernasconi, o acumulado de chuvas tem relação com a formação de “corredores de umidade constantes”, que vêm da Amazônia, atualmente pela Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que é uma faixa de nuvens que se estende do sul da região amazônica até a área central do Atlântico Sul.
G1/montedo.com

Skip to content