Escolha uma Página

A cerimônia de abertura do exercício combinado CORE (Combined Operation and Rotation Exercises) ocorreu nesta segunda-feira (6) em Lorena

A cerimônia de abertura do exercício combinado CORE (Combined Operation and Rotation Exercises) ocorreu nesta segunda-feira (6) em Lorena, no interior de São Paulo. A atividade reúne tropas brasileira e norte-americana em território brasileiro até 16 de dezembro.
A solenidade, que marcou o início do trabalho de cooperação militar entre Brasil e EUA, foi realizada no pátio do 5º Batalhão de Infantaria Leve (5º BIL). A formatura contou com a presença do Comandante Militar do Sudeste (CMSE), General de Exército Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva, do Comandante-Geral do Exército Sul dos Estados Unidos, Major General William L. Thigpen, e quase 1.000 militares dos dois países.
Os dois exércitos participarão de operações aeromóveis, durante dez dias, na região do Vale do Paraíba. O programa de cooperação em adestramento militar é considerado um vetor para o desenvolvimento da doutrina militar brasileira, além de uma interação com um ator de destaque para a Estratégia Nacional de Defesa e para a política externa brasileira.
“Que Brasil e Estados Unidos tenham essa missão como um exemplo de futuras missões, já que essa operação CORE ocorrerá até o ano de 2028, com fases de rotação aqui e nos Estados Unidos”, afirmou o General Tomás. CORE 21 O CORE 21 é o primeiro exercício combinado executado por tropa dos Estados Unidos na América Latina.
O exercício será conduzido por uma força-tarefa do 5º BIL, tendo incorporada uma Companhia de Fuzileiros da 101ª Divisão de Assalto Aéreo (101st Airborne Division) do Exército dos Estados Unidos. O CORE 21 é resultado de um programa de cooperação em adestramento militar que estipulou um exercício combinado anual até o ano de 2028.
No dia 5 de dezembro, militares do 22º Batalhão Logístico Leve realizaram a preparação de cargas que serão helitransportadas durante uma operação simulada de assalto aeromóvel, dentro do contexto da Operação CORE 21 (acrônimo para a sigla Combined Operation Rotation Exercise).
A preparação contou com a participação de militares do 187º Regimento de Infantaria da 101ª Divisão de Assalto Aerotransportada (Airborne) do Exército dos Estados Unidos da América, que se adestram com a tropa brasileira em um exercício combinado.
Na oportunidade, os militares de ambos os países tiveram a oportunidade de trocar experiências e conhecimentos doutrinários referentes à Logística Aeromóvel durante uma operação de assalto aeromóvel e sobre a manutenção de uma cabeça de ponte.
A Operação CORE, que conta com tropas brasileiras e norte-americanas, visa à interoperabilidade do emprego de tropas de nações amigas, principalmente no que se refere à doutrina e emprego de tropas aeromóveis.
Cabe ressaltar que a 101ª Airborne Division é uma Divisão de Infantaria Leve do exército norte-americano com muita tradição naquele país e altamente experimentada em combates, tendo participado do desembarque da Normandia, durante a Segunda Guerra Mundial, da Guerra do Vietnã, das Guerras do Golfo, entre outras.
A Direção do Exercício (DIREx) CORE 21 (acrônimo para a sigla Combined Operations and Rotation Exercises), integrada por militares norte-americanos e brasileiros, realizou um ensaio das suas ações na manhã do dia 4 de dezembro na Academia Militar das Agulhas Negras.
Além disso, foram executados testes nos sistemas de Comando e Controle. Na próxima semana, iniciam, de fato, as manobras militares simuladas no terreno com a tropa e, com o perfeito funcionamento da DIREX, é possível avaliar o desempenho das tropas durante o programa de intercâmbio e cooperação.
Nesta terça (7), as tropas brasileiras e americanas foram conduzidas até o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), no município de Cachoeira Paulista (SP), para treinar o embarque e desembarque das aeronaves Jaguar e Cougar da Aviação do Exército.
Na ocasião, os pilotos e mecânicos de voo do 1° Batalhão de Aviação do Exército explicaram procedimentos de segurança fundamentais para os militares norte-americanos, da 101ª Divisão de Assalto Aéreo (101st Airborne Division).
À tarde, os pelotões realizaram exercícios em pistas de progressão, como oficinas de maneabilidade, retraimento e de Combate a Localidade. Em todas as oportunidades, a interoperabilidade e a cooperação entre tropas brasileiras e norte-americanas permitiram um intercâmbio de conhecimento e incremento da capacidade operativa das tropas da Brigada Aeromóvel, que é uma Força de Prontidão (FORPRON) do Exército Brasileiro.
Entre os dias 6 e 16 de dezembro, ocorrerão as ações do Exercício CORE 21 (acrônimo para Combined Operations and Rotation Exercises) no campo de instrução da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN). Na oportunidade, a Força-Tarefa Itororó, composta por militares da 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel) e da 101st Airborne Division, fará uma infiltração aeromóvel dentro de território inimigo simulado, num contexto de uma operação ofensiva.
A 12ª Companhia de Engenharia de Combate Leve iniciou seu deslocamento para a Operação CORE 21, que ocorrerá ao longo do Vale do Paraíba, entre as cidades de Lorena (SP) e de Resende (RJ).
A missão da Companhia é prover mobilidade, contramobilidade e proteção à Brigada Aeromóvel, multiplicando o poder de combate da tropa helitransportada.
DefesaNet/montedo.com

Skip to content