Escolha uma Página

GUILHERME MENDES e VANESSA LIPPELT
Os gastos autorizados no Orçamento da União com a rubrica “defesa nacional”, com emendas parlamentares com repasses às três forças armadas, chegaram a R$668,5 milhões em 2020. O valor é 251% superior ao que foi registrado em 2015, quando os congressistas reservaram pouco mais de R$265,5 milhões a todo tipo de obras tocadas pelo Ministério da Defesa. Em 2021, o volume deve ser igualmente alto, já que até a última quinta-feira (25) foram autorizados R$636,5 milhões para o mesmo fim.
Para chegar a este número, o Congresso em Foco consultou o portal Siga Brasil, do Senado Federal, e o Portal da Transparência – este segundo concentra a lista das emendas que foram apresentadas. Estes arquivos mostram padrões sobre como os valores acabam sob controle dos militares: a maior parte destes valores acaba em projetos na região da Amazônia, em construções que vão de asfaltamento de ruas à construção de um shopping popular no interior do Mato Grosso; apesar de bancadas, deputados e senadores de todos os locais do Brasil apresentarem suas emendas ao Orçamento com a assinatura “Defesa Nacional”, são poucos os que estão vinculados a partidos de esquerda que fazem
suas propostas.
Congresso em Foco/montedo.com

Skip to content