Escolha uma Página

NORTON LUIS SILVA DA COSTA*
É uma festa cívica marcando um evento que teve um impacto na História do País e que e reconhecido como parte importante do conjunto de valores nacionais imateriais.
Uma festa popular pode ser definida também como uma manifestação popular, cuja intensidade ultrapasse os limites de uma atividade festiva individual, abrangendo a coletividade .
Portanto o nosso 7 de Setembro assim também se enquadra.
Mas qual seria o LIMITE da manifestação?
Será correto haver manifestações de cunho reivindicatório e contrário aos poderes básicos que, queiramos ou não, aceitemos ou não, ele existem e estão previsto em lei e são os pilares de uma democracia?
E pergunto novamente: qual seria o LIMITE dessa manifestação?
Como podem ver mudei o conceito desse nosso próximo 7 DE Setembro PROPOSITALMENTE PARA MANIFESTAÇÃO.
Manifestação nada mais e do que o ato ou efeito de manifestar ou de manifestar-se.
Tornar algo manifesto, público, conhecido.
Assim sendo, a manifestação publiciza alguns sentidos e interdita os sentidos que não podem e não devem aparecer em dadas circunstâncias.
Concordo com a assertiva de que manifestações populares são ações realizadas pelo POVO de uma nação em defesa de uma causa como reivindicações políticas, crises econômicas e mudanças sociais.
A festa cívica muda de e deixa de ser uma festa popular de vulto!
Teremos sim então uma manifestação, mas de que forma?
Dentro da ORDEM E PROGRESSO ou afiando as laminas das espadas e municiando as armas ?
Esse é o meu receio…que se faça confusão na hora de se atingir os propósitos aos quais essa data magna serve historicamente.
O 7 de Setembro será um dia de manifestação e de protestos? Sim, será, ao que tudo indica .
Ao falar sobre protestos em Manifestações , é frequente a presença de palavras como “ atos violentos” ou “vandalismo” quando se trata dos manifestantes.
No debate sobre a presença da violência em protestos, é importante entender de onde vem cada linha de pensamento e quais são os ideais e os objetivos finais por trás de cada tipo de manifestação, seja ela pacifista ou não.
E pergunto mais uma : qual seria o LIMITE dessa manifestação?
Eu, esse simples SOLDADO DE CAXIAS, advogo e luto pela linha de pensamento que é contra o uso de violência física, do conhecido Mahatma Gandhi. Ele foi um dos pioneiros da desobediência civil como método de protestos .
Reconheço entretanto o que outras linhas de pensamento nos processos políticos atualmente existentes ou de criação de movimentos específicos e reivindicatórios por pautas, “algumas linhas de pensamento apoiam e aceitam a utilização da violência o que seria, em tese , uma resposta à violência que o sistema dito de opressão já imprime a sociedade em seu contexto.”
E o que queremos para o nosso 7 de Setembro, pergunto eu agora?
Eu advogo um movimento e manifestação pacifica e ordeira.
A democracia no Brasil esta plenamente consolidada, inclusive com a liberdade de expressão e de opinião nas ruas.
Por isso, nenhuma manifestação violenta , ou que venha a tomar outro caminho é democrática, nenhum ato de violência é democrático.
Segundo Maria do Rosário, o Governo e a sociedade não apoiam nenhum tipo de manifestação violenta. “Quem utiliza de métodos violentos está abrindo mão do direito de usar a palavra, que é a principal ferramenta para a mudança do mundo”, avaliou a então ministra dos Direitos Humanos.
Finalizando, acredito que estou preocupado é em transmitir essa mensagem aos meus amigos e companheiros que se manifestam: façam de maneira pacífica que suas vozes serão respeitadas e ouvidas. Com violência, vocês não serão respeitados e não terão autoridade política e muito menos moral.
Tenhamos paz e bom senso, mas Alea jacta est (grafia medieval) ou alea iacta est (grafia clássica) significa: “o dado foi lançado”, mas traduzido comumente como “a sorte foi lançada”.
O LAGO PARANOÁ , NOSSO Rubicão foi cruzado!
*Coronel de Infantaria da reserva remunerada

Skip to content