Escolha uma Página

Conta que levava o nome da Força Armada e reunia mais de 200 mil seguidores foi derrubada após deputado denunciar conteúdo antidemocrático

Caio Barbieri
A Polícia Federal (PF) foi acionada para investigar a autoria ainda não conhecida de um perfil atribuído ao Exército Brasileiro, dentro do TikTok, mas que se passava pela corporação para defender atos antidemocráticos, como um possível golpe militar. A plataforma havia sido notificada a derrubar a conta pelas Forças Armadas por não ser proprietária oficial da conta @exercito.oficial.
O Metrópoles noticiou que o deputado federal Ivan Valente (PSol-SP) havia questionado a legitimidade do perfil na rede social que tem grande adesão, principalmente de mais jovens. Em um dos vídeos publicados, o nome do general Augusto Heleno é citado e há defesa de um golpe contra a democracia, o que é crime. O perfil foi suspenso da plataforma após ter o conteúdo denunciado.
Na nova investida, o congressista cobrou da Polícia Federal, por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), a instauração de procedimento para descobrir quem usou indevidamente o nome da corporação militar. Como resposta, a instituição informou que o caso foi direcionado para providências da Corregedoria-Geral.
Valente questionou, ainda, como uma conta com tantos seguidores permaneceu no ar com o uso indevido do Exército Brasileiro sem que fosse denunciada virtualmente.
O Exército havia desmentido a autoria da página ao informar que não mantinha perfil dentro do TikTok, apenas nas demais plataformas mais populares. A descrição do perfil, que se aproximou dos 200 mil seguidores informava: “Bem-vindos ao perfil oficial do #ExércitoBrasileiro”. Contudo, não há o sinal de verificado pela rede social, instrumento para legitimar a autoria do cadastro.

METRÓPOLES/montedo.com

Skip to content