Escolha uma Página

Do UOL, em São Paulo
Três militares do exército paraguaio foram mortos após a explosão de uma bomba numa estrada entre San Pedro e Amambay, no Paraguai, a apenas 92 km do Mato Grosso do Sul, no Brasil, ontem. O carro em que eles estavam ficou destruído e o motor chegou a ser atirado a 70m de distância.
O local é conhecido pela ação do grupo de guerrilheiros EPP (Exército do Povo Paraguaio), já investigado pela polícia, e também é o mesmo onde foi registrado o sequestro do colono Franz Wiebe, em 2007, segundo informa o jornal paraguaio La Nacion.
De acordo com a Polícia Nacional do Paraguai, os sargentos Maurício Pérez Paredes, 26, Eulálio Espinoza, 29, e Lauro Ramón Monzón Acosta, 30, mortos na ação, participavam de uma força-tarefa e estavam junto a outros seis militares, que não se feriram.
Um outro carro, que estava a 100 metros do que explodiu, estava tripulado por militares que alegam ter ouvido disparos na estrada por onde trafegavam, o que aumenta a suspeita de ação do grupo criminoso.
Em comunicado, as Forças Armadas do Paraguai lamentaram as mortes dos sargentos. “Frente a este tipo de acontecimento que aflige as famílias paraguaias, as Forças Militares reafirmam seu compromisso de seguir incansavelmente para conseguir a captura e colocar à disposição da Justiça os grupos criminosos que operam e colocam em perigo os residentes daquela área do país”.
UOL/montedo.com

Skip to content