Escolha uma Página

Na área de comentários, está havendo uma revoada de leitores , pedindo um posicionamento do Blog sobre a fixação, pelo Exército, do tempo médio de permanência de subtenentes e sargentos nas respectivas graduações. Mal educados à parte – esses, aliás, geralmente escrevem  “intertício“(sic) – resolvi tratar do assunto. O que vai a seguir certamente não é o que muitos gostariam de ler, mas é o que penso. Vamos lá.

Qual a surpresa?
Há anos o Alto Comando sinaliza no sentido de estabelecer um paralelismo  entre a carreira dos graduados e a dos oficiais. Não se diz, desde sempre, que o QAO é o generalato dos praças? Pois bem, com o aumento do tempo mínimo de permanência para 35 anos, o conceito vai virar realidade. Assim como a imensa maioria dos oficiais encerra sua carreira no posto de coronel, a massa dos graduados – mantidas as condições vigentes – irá para a reserva como subtenente.
Isso ficou muito claro quando da implantação da reestruturação remuneratória. Ao final, aplicados todos os índices,  um suboficial com Altos Estudos terá um vencimento bruto equivalente ao de um capitão não aperfeiçoado. Ponto.

TEMPOS MÉDIOS DE PERMANÊNCIA NAS GRADUAÇÕES
Graduação Tempo Médio de Permanência
Subtenente 6 anos
1º Sargento 7 anos
2º Sargento 9 anos
3º Sargento 10 anos
           PORTARIA – EME/C Ex Nº 383, DE 7 DE MAIO DE 2021

Notem, não estou afirmando que isso é bom, apenas, que era absolutamente previsível. Os cinco anos de acréscimo teriam que ser diluídos de alguma forma ao longo da carreira. Obviamente, a solução encontrada pelos altos-coturnos não foi a melhor possível.  Ao sair da escola de formação, o tercereba vai penar cerca de dez longos anos até ser promovido, mais nove para ser primeiro sargento. Arredondando, serão duas promoções em vinte anos.
Se serve de consolo, saibam que já foi pior. Nos anos 1980, recém-egressos da ESA, nós, os pica-fumos, tratávamos alguns colegas da mesma graduação de “senhor”. Eram terceiros sargentos, já aperfeiçoados, com até treze anos de formação.

Balão de ensaio
Lembram do sargento-mor? A graduação chegou a ser inserida no projeto de reestruturação e foi retirada às pressas, devido à péssima repercussão junto ao público interno. Como de costume, os generais não se dignaram a aferir o pensamento dos graduados.
Ante o aumento do tempo de permanência, a criação de uma nova graduação é altamente recomendável. Só que a opção dos estrelados foi inserir mais um degrau de sargento, quando ele deveria ser estar acima do subtenente. Esta proposta, que circula nas redes, seria a ideal:

Proposta
Essa também é a proposta do Deputado Nicolletti(PSL/RR), que é ex-sargento do Exército. O parlamentar encaminhou hoje um ofício nesse sentido ao general Braga Netto, ministro da Defesa:

Skip to content