Escolha uma Página

Os dez músicos foram aprovados no concurso da Orquestra da FAB no cargo de terceiro-sargento-músico

A dedicação, o talento e a paixão pela música foram determinantes para que um grupo de dez ex-estudantes da Escola de Música de Brasília decidisse seguir carreira. Eles conquistaram aprovação na disputa por 39 para vagas oferecidas no fim de 2020 em concurso nacional da Orquestra Sinfônica da Força Aérea Brasileira.
Os músicos, egressos de um dos centros de educação profissional da rede pública de ensino do Distrito Federal, concluíram o curso de formação para o cargo de terceiro-sargento-músico. Eles iniciaram suas novas atividades no dia 10 deste mês.

Diferenciais
Os ex-alunos da Escola de Música de Brasília, vinculada à Secretaria de Educação, vão trabalhar na mesma cidade onde estudaram música. Para as sete vagas para violinista, Hayanne SaatKamp, de 30 anos, foi uma das aprovadas. Para a jovem, estudar durante 13 anos na Escola de Música de Brasília foi o grande diferencial.
“A escola trouxe um norte muito grande para minha formação como musicista e como violinista. Foi por meio da convivência com os colegas e com os professores excelentes que eu decidi seguir a carreira profissional. Então, incentivada pelos professores, eu comecei a participar de festivais, procurei estudar e fazer cursos de aperfeiçoamento, e isso fez toda a diferença para a profissional que eu me tornei hoje”, enfatizou.
Kátia Andrade foi uma das professoras de violino da Hayane. Para a educadora, a dedicação da ex-estudante e também a metodologia de trabalho realizada na escola são os diferenciais para o processo de ensino e de aprendizagem.
“Como professora, ver um aluno conquistar espaço no meio profissional é a sensação de um trabalho realizado. A aprovação de Hayane evidencia a dedicação que ela teve com a música e com o instrumento. O estudante, quando entra para a Escola de Música, passa ter uma vivência musical grande, pois ele participa de aulas de instrumento, de música de câmara, de orquestra, de aulas teóricas, de canto coral. Tudo isso faz com que ele amadureça musicalmente e contribui para o sucesso musical e profissional”, explicou.
A harpista Milena Gontijo, de 33 anos, é outro exemplo de sucesso profissional. Depois de 11 anos de formação na Escola de Música, ela conquistou uma das duas vagas disponíveis para o instrumento. “Ser aprovada foi muito importante para minha carreira como musicista e harpista, afinal vou atuar na orquestra num cargo com meu instrumento, e são raras e poucas as vagas disponíveis para harpa. Poder desfrutar dessa oportunidade é algo maravilhoso”, afirmou.

Trabalho de excelência
Para o diretor da Escola de Música, Davson de Souza, ter ex-estudantes aprovados na Orquestra Sinfônica da Força Aérea Brasileira é um resultado valioso. “A aeronáutica já tinha uma banda sinfônica, mas agora está à frente de uma inovação. Com o acréscimo de instrumentos de corda, a Força Aérea Brasileira montou a orquestra sinfônica. É importante para a Escola de Música que nossos ex-alunos estejam à frente desse pioneirismo e a aprovação evidencia o trabalho de excelência realizado durante os 55 anos de existência da instituição”, destacou.
A Escola de Música de Brasília é considerada uma das melhores em educação musical e profissional da América Latina e está entre as mais conceituadas do mundo. Atualmente, 176 professores ministram aulas para aproximadamente 3 mil estudantes matriculados. A instituição está localizada na L2 Sul, Quadra 602.
Agência Brasília/montedo.com

Skip to content