Escolha uma Página

A imunologista Nise Yamaguchi disse a Vicente Nunes, do Correio Braziliense, que o autor do decreto para mudar a bula da cloroquina foi o anestesista Luciano Dias Azevedo, tenente-médico, e não ela.
Ao seguir a linha negacionista, Luciano Dias teria ganhado espaço no grupo de profissionais de saúde que aconselham Jair Bolsonaro, o chamado “ministério paralelo”, composto também por Osmar Terra e a própria Nise.
Numa reportagem da Folha, de abril de 2020, dizia que “coube a ele e à doutora Yamaguchi tentar convencer Luiz Henrique Mandetta, numa reunião no Palácio do Planalto, a assinar um decreto liberando a hidroxicloroquina para tratamento de infectados com o coronavírus, inclusive em estágio inicial”.
Em seu depoimento à CPI, Mandetta afirmou que a ideia era mudar a bula do medicamento usado para tratamento da malária. Hoje, o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, confirmou a versão e colocou a culpa em Nise.
O Antagonista/montedo.com

Skip to content