Escolha uma Página

Paulo Ricardo da Rocha Paiva*
De repente uma mensagem: -“O Presidente está no caminho certo, momento especial, avante. São fatos: conquistou o Parlamento”; que não se duvide, muita gente diz que comprou mas, também, se vendeu ao CENTROLÃO; “vai poder aprovar a PEC da bengala e tirar 4 ministros do STF, isso vai impactar direto na vida dos brasileiros”; todavia, vamos ver quem vai botar no STF, sim porque passa a impressão de que ao nomear visa proteger prole investigada pela justiça.
Em sequência, o pretenso “momento especial” vaticina: – “STF e Congresso a favor do governo, será a sentença de morte para ratos de porão que nos impedem ser uma grande nação”; em verdade não é bem assim, o CENTROLÃO vai cobrar participação nos lucros das negociatas da politicalha. Sim, o “mito da nova política” vai pagar caro sua inescrupulosa adesão descabida. Continuando o texto visionário: -“O que está em jogo é algo infinitamente maior e mais importante do que a maioria dos eleitores de Bolsonaro imagina”; na verdade a maioria não vota nele, mas contra o PT, e seu “negacionismo” está desacreditado. Hoje 390 000 mortos superam a soma dos efetivos de nossas três “Desarmadas” Forças.
E o “momento especial”, em devaneio, também ousa augurar: – “Podemos virar potência econômica em tempo curto. Temos energia hidrelétrica, energia eólica, energia solar, nuclear, petróleo, etanol, nióbio e muitos metais preciosos, área agricultável de apenas 8% do território nacional e, mesmo assim, somos dos maiores exportadores de alimentação do mundo. Imagina se o Brasil duplicar essa área agricultável.” Brasileiros! Potência econômica não garante soberania nas Amazônias verde e azul, nem livra a nação de “engolir sapos” das potências militares que cobiçam ostensivamente seus recursos. No entanto, é de se lamentar, tinha tudo para virar potência militar, contudo o Ministério da “Indefesa” ainda não mostrou ao que veio.
A mensagem ainda profetiza: – “Entendeu o porquê de tantas ONGs impedindo a expansão das terras agricultáveis? Seremos a nação mais poderosa do planeta. Não somente pela questão política, acima de tudo, sobre o ponto de vista da geopolítica mundial. Os grandes investidores externos querem total domínio do nosso território e era isso que estava acontecendo. ONGS impedindo que o País fosse soberano. Não é apenas uma opção política, na verdade, é uma guerra econômica com viés ideológico para disfarçar os reais interesses envolvidos”.
Cáspite! As ONGS ainda estão ditando cátedra, financiadas pelos MACRONS e BIDENS da vida. Ademais, não se logra este supremo poder comprando a “pólvora do comandante-em-chefe” em grandes mercadores da morte. Bravata que não se garante, fraqueza e abuso nos expondo ao ridículo. Infelizmente JMB não evidencia porte de estadista para conduzir a nação em mares turbulentos. Não se pode perder tempo! Mourão, Moro ou Santos Cruz precisam pintar no pedaço em 2022.
*Coronel de infantaria e Estado-Maior

Skip to content