Escolha uma Página

Gestões do Ministério da Saúde podem ser investigadas na CPI, diz Renan

Gustavo Nicoletta
São Paulo – O Ministério da Saúde e a decisão de escolher um general para comandar a pasta em meio à pandemia de covid-19 será um dos elementos analisados pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará os erros e omissões do governo no combate à doença, afirmou o relator da comissão, o senador Renan Calheiros (MDB-AL).
“Não estaremos, queria repetir, investigando nomes ou instituições, mas fatos e os responsáveis por eles. As gestões do Ministério da Saúde, evidentemente que podem ser apuradas investigadas a fundo. Ainda não é o caso”, disse ele durante um pronunciamento.
O comentário faz referência indireta às trocas de comando no Ministério da Saúde feitas pelo presidente Jair Bolsonaro durante a pandemia de covid-19, e em particular à nomeação de Eduardo Pazuello, um militar, para chefiar o órgão.
“Não é o exército brasileiro que estará sob análise, uma instituição permanente de estado. Imaginem um epidemiologista conduzindo tropas em Monte Castelo. Na pandemia o ministério foi entregue a um não especialista. O resultado fala por si só: no pior dia da covid, em apenas 4 horas o número de brasileiros mortos foi igual a todos que tombaram nos campos de batalha da segunda guerra mundial”, disse Renan Calheiros.
“O que teria acontecido se tivéssemos enviado infectologista para comandar tropas? Provavelmente um morticínio. Porque guerras se enfrentam com especialistas, sejam elas guerras bélicas ou guerras sanitárias. A diretriz é clara: militar nos quartéis e médicos na saúde. Quando se inverte, a morte é certa”, acrescentou. Leia mais.
Agência CMA/montedo.com

Skip to content