Escolha uma Página

Nesta semana, houve troca no comando da pasta: general Fernando Azevedo e Silva deu lugar ao também general Walter Braga Netto

ESTADÃO CONTEÚDO
Camila Turtelli, Emilly Behnke e Daniel Galvão
O presidente da República Jair Bolsonaro negou que tenha politizado o Ministério da Defesa com a troca de comando da pasta nesta semana. O general Fernando Azevedo e Silva deu lugar ao também general Walter Braga Netto, que antes comandava a Casa Civil.
— Três ministros foram trocados durante a semana e três foram remanejados. Vou falar um pouquinho apenas sobre o Ministério da Defesa, onde houve uma especulação enorme da mídia, né? “Está politizando… quer fazer isso, quer fazer aquilo”. Curiosidade: quem era e quem é o ministro da Defesa. Ambos são generais de Exército. Do último posto da carreira. General de quatro estrelas. Vocês sabem, quem é da ativa não pode estar sequer filiado a qualquer partido político — disse.
Bolsonaro fez uma lista de nomes de ministros durante os governos petistas.
— No passado, a presidente Dilma (Rousseff) colocou o Jaques Wagner, do PT, para ser ministro da Defesa. Ela politizou ou eu politizei? — disse.
Ele ainda fez elogios ao general Braga Netto e disse que ele é um general de “linha de frente, de combate”.
GAÚCHAZH/montedo.com

Skip to content