Escolha uma Página

Há tempos venho observando nos comentários do blog uma campanha sistemática contra a reeleição de Bolsonaro. Ela provém de meia dúzia de comentaristas, usando sempre os mesmos argumentos, que resumo neste: “Bolsonaro traiu a sua base militar de praças, graduados e pensionistas, aliou-se ao generais e perdeu milhares de votos quando sancionou a maldita lei 13954”.
A promessa, ameaça, desejo ou premonição é uma só: o ‘mito’ não vai se reeleger, pois será boicotado pelos “estamentos inferiores”.
Acordem! Bolsonaro não precisa dos votos dos militares, faz tempo. Desde que levantou a bandeira contra o “kit gay” e começou a comprar brigas com Jean Wyllis, Maria do Rosário e outros, ele quadruplicou sua votação e foi o deputado mais votado do Rio em 2014, resultado que o cacifou para seu projeto presidencial.
Ao contrário: foi a penca de fardados eleita em 2018 que conseguiu seus mandatos surfando na onda bolsonarista.
O cenário político aponta para uma reeleição em 2022. Caso ela não ocorra, não será pela falta de votos dos milicos.
Aliás: militar, você já transferiu seu título eleitoral?

Skip to content