Escolha uma Página

Na avaliação da democrata, a situação de instabilidade política “não poderia ser mais perigosa”

Por Valor — São Paulo
A presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, disse nesta sexta-feira que conversou com o Estado-Maior do Exército para evitar que Donald Trump ordene ações militares ou um ataque nuclear nos dias que lhe restam na Casa Branca.
Pelosi escreveu em um comunicado enviado aos democratas que conversou com o general Mark Milley, chefe do Estado-Maior, para “discutir as precauções disponíveis para evitar que um presidente instável inicie hostilidades militares ou ordene um ataque nuclear”.
Na avaliação da democrata, com a instabilidade de Trump, a situação “não poderia ser mais perigosa”.
“Devemos fazer tudo o que pudermos para proteger o povo americano de seu ataque desequilibrado ao nosso país e à nossa democracia”, disse na nota, se referindo à invasão ao Congresso, na quarta-feira, por apoiadores do presidente.
O Pentágono confirmou a ligação entre Pelosi e Miller, mas não deu detalhes sobre o que eles conversaram. “Ele respondeu às perguntas dela sobre o processo de autoridade do comando nuclear”, disse Dave Butler, porta-voz do general.
Colin Powell, general reformado e secretário de Estado no governo de George W. Bush, minimizou as preocupações de Pelosi sobre a possibilidade de Trump ordenar um ataque nuclear. “Fui chefe do Estado-Maior e posso dizer com certeza que se algo assim acontecesse e alguém, de repente, dissesse ‘queremos usar armas nucleares’, nunca se aproximaria delas”, afirmou à CNBC.
Pelosi irá se reunir com a bancada democrata ainda nesta sexta-feira para discutir um possível processo de impeachment contra Trump. Na quinta, ela e o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, pediram que o vice-presidente Mike Pence invoque a 25ª emenda da Constituição para afastar o presidente do cargo.
Trump deixará a Casa Branca em 20 de janeiro. Mais cedo, o republicano anunciou que não participará da posse do sucessor, Joe Biden, algo que não ocorre no país desde 1869.
VALOR ECONÔMICO/montedo.com

Skip to content