Escolha uma Página

Em almoço com Bolsonaro, militares fazem balanço de ações em 2020
Presidente agradeceu atuação dos militares durante a pandemia

Montedo.com com Agência Estado e Agência Brasil
Em confraternização de fim de ano das Forças Armadas, o presidente Jair Bolsonaro disse hoje, 9, que vê na caserna um “conforto” em caso de “qualquer imprevisto”. O chefe do Executivo participou de almoço com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, e comandantes das Forças Armadas. O evento ocorreu no Clube da Aeronáutica de Brasília. O vice-presidente Hamilton Mourão e ministros palacianos também participaram da confraternização. Apesar da tendência de aumento de casos do novo coronavírus e das mais de 178 mil mortes pela doença no Brasil, Bolsonaro disse no evento que o País se saiu “bem” na questão da pandemia.
“Os momentos de conforto que eu tenho em grande parte é pela certeza de que, em havendo qualquer imprevisto, as Forças Armadas estão prontas para cumprir com o seu dever e ajudar o próximo”, afirmou. Bolsonaro lembrou que o início de sua gestão foi marcado por “uma situação bastante triste” envolvendo o desastre ambiental de Brumadinho, que contou com apoio das Forças Armadas.
Bolsonaro citou que o governo é alvo de críticas que buscam desacreditar o seu trabalho, mas que, apesar disso, o País se saiu “bem” durante a pandemia da covid-19. “Buscam com lupa possíveis defeitos. Buscam de todas as maneiras até mesmo nos desacreditar e passamos um momento dificílimo com a pandemia. Juntamente com os nossos outros colegas, ministros civis, nos comportamos muito bem, não só na questão da economia, bem como na busca de diminuir o sofrimento de nossos irmãos”, declarou.
Ele citou ainda a atuação dos militares em novembro durante o apagão no Amapá. “Quem nos dois episódios (Amapá e Brumadinho) estava na frente para buscar melhorar a dor dos nossos irmãos eram os militares e isso nos orgulha”, disse. Em um aceno à Mourão, o chefe do Executivo destacou que a presidência e vice-presidência são ocupadas por militares. “O Brasil olha para nós. Tem um presidente e um vice que são militares”, observou.
Em tom otimista, o presidente afirmou que o ano que vem será “muito melhor do que 2020”. Em seu discurso, Bolsonaro ainda destacou que deseja entregar um Brasil melhor para que substituí-lo. “Peço a Deus que nós tenhamos assumido esse governo para que não fiquemos eternamente, mas que as nossas missões, os nossos exemplos, os dois anos sem qualquer indício de corrupção, façam a diferença.”
Cerca de 75 pessoas participaram do almoço, que normalmente é um evento de fim de ano para mais de 300 convidados com a participação de todos os oficiais generais. Neste ano, devido às restrições do novo coronavírus, o evento reuniu apenas generais quatro estrelas, além de ministros e assessores militares. Diagnosticado com a covid-19 e ainda se recuperando de uma cirurgia no fêmur, o general Edson Leal Pujol, do Exército, não compareceu ao evento.
Durante o evento, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, agradeceu ao presidente, que, segundo ele, empenhou seu capital político para viabilizar importantes soluções na área, como por exemplo a reestruturação da carreira militar.
Azevedo acrescentou que os integrantes do Ministério da Defesa, da Marinha, do Exército e da Força Aérea Brasileira se empenharam com dedicação e profissionalismo. “Os militares se engajaram, alinharam-se a outras agências governamentais, compartilharam suas competências para ajudar o governo e a sociedade nas dificuldades e nas emergências que surgiram neste ano”, disse.
O ministro lembrou que neste ano a defesa constituiu comandados conjuntos para enfrentar a pandemia do coronavírus, levando apoio aos mais necessitados, incluindo centenas de comunidades ribeirinhas, quilombolas e indígenas.
“Ao mesmo tempo esforços foram empreendidos no combate aos ilícitos ambientais, na Operação Verde Brasil 2, na contenção dos incêndios no Pantanal, na garantia da votação e apuração das eleições municipais e no apoio à população do Amapá, na crises energéticas que atingiram aquele estado”, ressaltou.
O comandante da Aeronáutica, Antonio Carlos Bermudez, anfitrião do encontro, também falou em nome dos militares no evento e destacou a vitória democrática de Bolsonaro nas eleições de 2018.
“Ao ganhar democraticamente as eleições presidenciais, o senhor (Bolsonaro) recebeu do povo a confiança para liderar essa nação e assumiu o compromisso de garantir uma vida mais digna a nossa gente, plena de oportunidade”, citou. E acrescentou: “As Forças Armadas acreditam que somente uma nação livre tem assegurada a certeza de um desenvolvimento condigno. Afirmamos que estaremos juntos e fortes cumprindo as missões que nos forem designadas para que o nosso Brasil possa permanecer em voo estável e ascendente rumo ao futuro que todos desejamos.”

Skip to content