Escolha uma Página

Exército de Campinas tem 4% do efetivo infectado pelo coronavírus na pandemia; 115 militares testaram positivo

Patrícia Teixeira, G1 Campinas e Região
A cidade de Campinas (SP) tem 4% do efetivo de militares infectado pelo novo coronavírus. De acordo com a 11ª Brigada de Infantaria Leve, sediada na metrópole, 115 profissionais das Forças Armadas que atuam no município pegaram a doença, sendo que um deles precisou ser hospitalizado. O Exército de Campinas tem auxiliado em ações de combate à Covid-19, como a desinfecção de hospitais e áreas públicas.
No levantamento feito a pedido do G1, o Ministério da Defesa aponta que 514 testes SWAB (PCR) foram realizados em militares que apresentaram sintomas da doença. No entanto, até a última segunda-feira (17), 394 deram resultado negativo para Covid-19. Todos os casos positivos se recuperaram.
“Por medida de segurança, todos os 514 testados foram inicialmente afastados e as medidas preventivas sanitárias individuais e coletivas aplicadas. Os casos não confirmados retornaram à atividade, enquanto os positivados cumpriram todo o período de isolamento decorridos do exame. Entre os positivos, apenas um militar necessitou de internação, no entanto, sem a necessidade de fazer uso de aparelho de respiração mecânica.”, informou o Comando Conjunto Sudeste (CCSE), por nota.
Ao todo, o corpo de homens e mulheres do serviço militar da cidade é composto por 2.720 pessoas. Até esta terça-feira (18), a cidade contabilizou 24.531 casos em moradores, sendo 901 óbitos por complicações do novo coronavírus. Até o momento, nenhuma morte de militar do Exército foi registrada em Campinas.
Batalhão do Exército em Campinas (SP) começa a produzir máscaras para reforçar a segurança de militares na linha de frente do combate ao coronavírus

Grupos de risco afastados
Segundo o CCSE, militares e servidores com idade igual ou superior a 60 anos, além de portadores de doenças crônicas (comorbidades), gestantes e lactantes foram autorizados a permanecer em suas residências e realizar teletrabalho.
Os militares infectados passam por reavaliação médica e por exames complementares para retorno às atividades, após estarem recuperados da Covid-19.

Medidas de prevenção
Barracas de triagem clínico-epidemiológica foram instaladas nos acessos aos quartéis com o objetivo de reduzir as chances de contágio da Covid-19.
Entre as atividades de rotina, instruções militares passaram a ocorrer ao ar livre, prioritariamente. Treinamentos físicos coletivos foram evitados e o uso de máscara passou a ser obrigatório, tanto em atividades externas quanto internas. As medidas permanecem.
“O Comando da Brigada continua orientando suas organizações militares a evitarem a execução de atividades que reúnam grande quantidade de militares em ambientes fechados.”
Os cuidados também se estendem às medidas de higiene, que foram intensificadas, aos locais para refeições, com espaçamento de mesas, e à adaptação do horário de trabalho de militares para evitar maior concentração de pessoas nos turnos.
G1/montedo.com

Skip to content