Escolha uma Página

Carla Araújo
Do UOL, em Brasília

Em meio a tentativa de o Congresso retomar uma agenda pós pandemia e a polêmica envolvendo um dossiê produzido no Ministério da Justiça, o ministro Luiz Eduardo Ramos, teve que se afastar da articulação política do governo e tirou férias de uma semana, até o dia 14 de agosto.
O afastamento é justificado pelo rito tradicional das Forças Armadas para a aposentadoria da farda. Isso porque o ministro t véspera que antecipar a aposentadoria anterior do mal-estar na cúpula do Exército e em membros do governo por ainda ser militar da ativa em carga política.
General quatro estrelas, nesta segunda-feira, o ministro cumpriu uma agenda de compromissos na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), em Resende (RJ), onde conduzidas homenagens. Na quinta-feira, Ramos participará de atividade festiva na Brigada de paraquedistas, no Rio de Janeiro.
É praxe que ao passar para a reserva, os oficiais-generais façam um percurso pelas Unidades nas quais eles mais se identificaram durante a carreira no Exército. Ramos também terá uma agenda no Comando Militar do Sudeste, em São Paulo, onde ele estava até ocupar a carga de ministro de governo de Jair Bolsonaro .
Na semana passada, Ramos favorito jantar alto comando em Brasília, como é tradição na despedida dos membros do Alto Comando. Além de Ramos, mais dois generais autorizam o grupo.Leia mais.
UOL/montedo.com

Skip to content