Escolha uma Página

Leonardo Cabral
Resultado parcial da “Operação Covid-19”, realizada pelo Exército Brasileiro na região de fronteira, entre Corumbá e as cidades bolivianas de Puerto Quijarro e Puerto Suarez, já deportou 740 estrangeiros, entre 22 de março e 04 de agosto. A operação reforça as ações de controle na linha da faixa fronteiriça entre os dois países.
Do total de estrangeiros, 387 são bolivianos e três peruanos. O restante, 350, não tinha documentação. Todos tentaram entrar em território brasileiro por trilhas clandestinas. A fronteira entre Brasil e Bolívia, está fechada, dos dois lados, desde março, como medida de enfrentamento ao coronavírus. Somente a passagem transporte de cagas é permitida.
A operação do Exército também visa reduzir ilícitos transfronteiriços, intensificando a presença militar, por meio de fiscalizações terrestres, estabelecendo postos de bloqueio e controle de estradas nas rodovias e vicinais da região.
Porém, muita gente tenta “driblar” as barreiras. Além dos deportados, três pessoas foram presas por tráfico de drogas e um menor infrator apreendido. Foram apreendidos 60,8 kg de pasta base de cocaína e 20 kg de maconha.
Em relação a crime por evasão de divisas, foram apreendidos R$ 57.294,00 e 180.250,00 dólares. Em mercadorias, 8 toneladas, totalizando R$ 142.000,00.
Por evasão de divisas, três pessoas foram detidas e duas por associação criminosa e receptação ilegal de veículo na região de fronteira.
Dois foram presos por tentativa de suborno e outros dois por desacato, desobediência e lesão leve. Pelo crime de homicídio, uma pessoa foi detida na região de fronteira.
No total de multas, foi aplicado o valor de R$ 10 mil.

O controle
Com o controle de estradas, o objetivo da operação é “frear” a passagem de pessoas, principalmente de estrangeiros, grande parte bolivianos, que se utilizam de estradas vicinais, mais conhecidas como “cabriteiras”, que ficam localizadas na zona rural de Corumbá, para ingressar em território nacional. Brasileiros também utilizam as trilhas clandestinas para atravessar contrabando e carros roubados/furtados.
Um desses pontos é a Rodovia Ramão Gomes, que dá acesso ao Posto Esdras, na fronteira com a Bolívia. Militares realizam durante dias da semana abordagem dos veículos e de pessoas.

Fronteiras fechadas
A fronteira entre as cidades de Corumbá (MS), Puerto Suárez e Puerto Quijarro, na Bolívia, está fechada desde março. Do lado brasileiro, o controle é feito pelo Exército durante toda a noite e também pela Polícia Federal. Durante o dia, fiscais da Receita Federal com o apoio de policiais militares, também ficam no Esdras.
DIÁRIOCORUMBAENSE/montedo.com

Skip to content