Escolha uma Página

PREFEITA DA CIDADE DE PIANORO NA ITÁLIA, FRANCA FILIPPINI, DESTACOU O SACRIFÍCIO DO TENENTE CORDEIRO E DO BRASIL DURANTE O CONFLITO

A recém-criada Força Aérea Brasileira (FAB) enviou, em 1944, suas tripulações para combater durante a Segunda Guerra Mundial, no Teatro de Operações da Itália, onde até hoje o legado de heroísmo e coragem é recordado por municípios italianos. Uma dessas cidades que celebram os heróis brasileiros é Pianoro, a 20 km ao sul de Bolonha.
Nesta quarta-feira (6), há exatos 75 anos da morte do Segundo Tenente John Richardson Cordeiro e Silva, a Prefeita da cidade de Pianoro, Franca Filippini, participou do hasteamento da Bandeira do Brasil na sede da Prefeitura. O ato foi feito em homenagem à FAB e aos seus heróis, pilotos que combateram na Itália, e, em especial, para recordar o sacrifício do Tenente Cordeiro, falecido em um ataque da artilharia antiaérea inimiga, quando realizava sua primeira missão no conflito.
A cerimônia cívico-militar foi precedida de uma apresentação sobre a FAB, realizada pelo historiador e pesquisador entusiasta da FEB, Giovanni Sulla, na Câmara de Vereadores de Pianoro, voltada para as crianças da rede pública de ensino do município. Além disso, alunos do 5º ano apresentaram o resultado de uma pesquisa realizada, durante o mês de outubro, sobre a vida do Tenente Cordeiro que, por meio de cartas, desenhos e cartazes produzidos pelos próprios estudantes, emocionou os presentes.
Na cerimônia, esteve presente a Deputada Simonetta Saliera, Presidente da Assembleia Legislativa Regional da Emília-Romanha e ex-prefeita de Pianoro. “Hoje, homenageamos, na pessoa do jovem piloto brasileiro John Richardson Cordeiro e Silva, todos aqueles que lutaram pela libertação do nosso país e que vieram de muito longe para combater ao nosso lado”, destacou a Deputada, que foi uma das idealizadoras do monumento em homenagem ao Tenente Cordeiro.
A atual Prefeita de Pianoro, Franca Filippini, destacou em seu discurso que o município jamais esquecerá o sacrifício do Tenente Cordeiro, bem como do povo brasileiro, que enviou seus filhos para lutar pela libertação dos italianos em um momento muito difícil da história do seu país.

Tenente Cordeiro
De ascendência inglesa, o Tenente Cordeiro teve contato com a aviação desde pequeno com seu pai, que foi Presidente do Aeroclube do Rio de Janeiro e representante da North American Aviation Inc. no Brasil. Baseadas nos padrões norte-americanos, as fases de formação de piloto de combate foram superadas com facilidade pelo militar, tanto nos Estados Unidos como no Panamá.
Enquanto o 1º Grupo de Aviação de Caça começava a ganhar maturidade e experiência em combate, Cordeiro foi a primeira perda de um piloto durante a Segunda Guerra Mundial. Ele realizava sua primeira missão de ala em combate real no Teatro de Operações Europeu e, voando como número 4 da segunda esquadrilha, foi atingido pela artilharia antiaérea inimiga, falecendo dentro do avião, na vila Livergnano, município de Pianoro.
DEFESA/montedo.com

Skip to content