Escolha uma Página

Obrigado pelo seu serviço!

Antenor Amarante Neto*
Nos Estados Unidos da América existe um costume muito interessante: o de agradecer aos militares, da ativa ou da reserva, pelo serviço prestado ao país. Muitas vezes, quando se presencia esta prática, pensamos que é somente um costume corriqueiro de dar um bom dia. Entretanto, ao termos a oportunidade de conviver com militares americanos em seu país, observamos que o agradecimento pelo serviço prestado aos militares vai muito além de um mero costume.
Durante algum tempo, tive a chance de presenciar civis, e até mesmo militares, agradecendo aos militares e veteranos pelo serviço prestado. Por respeito e admiração, passei também a praticar o agradecimento, uma vez que muitos são veteranos de combate e, por muitas vezes, deixaram suas famílias para lutar pela nação, pela paz e pelo bem-estar mundial. Quando estava em algum lugar e avistava algum senhor usando um boné com a palavra veterano – algo de muito orgulho para eles –, passei a cumprimentá-los e agradecer o serviço prestado ao país. Muitos poderiam dizer ou pensar: mas você é um brasileiro, não um americano, por qual motivo está fazendo isso?
A reposta à pergunta surgiu de um acontecimento. Um dia me deslocava de metrô, usando o uniforme camuflado, para o Forte McNair, em Washington-DC, onde me encontarva em missão. Sentei-me próximo à uma senhora que me olhou e observou o pavilhão nacional e a palavra Brasil, que carregava orgulhosamente no meu braço esquerdo. Quando me levantei para desembarcar, a senhora aproximou-se, estendeu a mão e me disse: Thank you for your service.
Nesse momento, achei a situação estranha, mas agradeci de forma normal. Como descemos na mesma estação, disse a ela que eu era do Brasil, tentando explicar-lhe que talvez não tivesse notado a bandeira brasileira e, dessa forma, pensado que eu era americano. Ela me disse que sabia e que não importava o país, a cultura ou qualquer outra coisa, pois militares são militares, e ela sempre será agradecida ao serviço prestado ao país e à população.
Durante alguns dias, ainda fiquei pensando no ocorrido, pois achava que o agradecimento pelo serviço era devido ao fato de que os militares americanos estão, continuamente, sendo empregados em teatros de operações e que muitos perdem suas vidas na busca da paz mundial e da garantia da liberdade de sua pátria. Contudo, percebi uma outra coisa: não é somente isso, mas também toda a história que envolve as forças armadas americanas e o reconhecimento do povo americano ao seu trabalho.
Contudo, isso não significa que devemos achar que em nosso País também deveria ser assim. Sabemos que muitas vezes, muitas mesmo, a história militar não é bem entendida pela população. Entretanto, nós, militares, sabemos exatamente o trabalho que realizamos e quanto nos custa em sacrifício pessoal e da família.
Não temos guerra, mas nos preparamos para ela. Temos a obrigação constitucional, como Forças Armadas, de cumprirmos essa missão com zelo e dedicação. Estamos nas fronteiras, apoiamos na segurança do País, atuamos em situações de emergência e estamos, permanentemente, presentes e prontos. Por isso, merecemos, sim, receber uma palavra de agradecimento, mesmo partindo de nós mesmos.
Oportunidades não faltam. Na formatura de término de serviço militar obrigatório, agradeça ao recruta. Ao receber um reservista no quartel, agradeça. Quando atender um militar da reserva em um hospital, diga a ele um simples “muito obrigado”.
Se hoje somos uma Força Armada que está sempre mirando o futuro e que atingiu o atual patamar de excelência, foi graças à dedicação de todos os que passaram por nossos quartéis, bases militares e instituições.
Com certeza, assim como os militares e veteranos americanos, nós, militares brasileiros, também gostaríamos de receber um agradecimento pelo serviço e pela dedicação. Somos capazes de aceitar gratidão pelo trabalho árduo e pela dedicação ao Brasil e ao povo brasileiro, sem questionar os motivos da palavra “obrigado”. Um simples obrigado terá um grande significado.
Ao finalizar essa reflexão, não poderia deixar de registrar o meu muito obrigado a todos os militares e ao Exército Brasileiro, ao nosso Exército. Seu serviço é muito importante para todos nós.

*Subtenente de Artilharia.
Atualmente serve no DGP. Foi Webmaster do Colégio Interamericano de Defesa, Washington, DC, EUA e Adjunto da Seção de Comunicação Estratégia, foi Auxiliar da Seção de Desenvolvimento e Gerenciamento e Soluções de Conteúdo Eletrônico do Superior Tribunal Militar e instrutor do Curso de Artilharia da Escola de Sargentos das Armas, Três Corações, MG. É graduado em Sistemas de Informação e MBA em Engenharia de Software.
EBlog/montedo.com

Skip to content