Escolha uma Página

Para isso, um decreto do presidente será alterado

Evandro Éboli
O governo bateu o martelo: irá incluir os policiais e bombeiros na reforma da Previdência dos militares das Forças Armadas.
Vai alterar um decreto para alcançar o intento. Para terem a desejada paridade e integralidade – receber o salário da ativa na aposentadoria – terão que trabalhar mais cinco anos, saindo dos 30 para 35 anos de serviço.
E vai ter uma transição para os da ativa: terão que trabalhar mais 17% do período que falta para aposentar hoje. É o tal pedágio.
Veja/montedo.com

Skip to content