Escolha uma Página

Entrada do Clube Militar, no centro do Rio de Janeiro (Fábio Zanini/Folhapress)


Clube Militar, que reúne cerca de 38 mil militares da ativa e reserva, deverá apoiar as manifestações marcadas para domingo (26) em defesa do presidente Jair Bolsonaro, em vários estados .

A Folha apurou que a direção do Clube, que tem sede no Rio de Janeiro, tende a endossar os protestos organizados por grupos de apoio a Bolsonaro e deve estimular seus filiados a participar dos atos em todo o país. O apoio foi assunto de uma reunião da diretoria da entidade nesta segunda-feira (20).

O Clube deve enviar a seus filiados uma mensagem em que reforça a defesa do governo e diz que é preciso preservar a governabilidade, como tem pedido o próprio Bolsonaro.

A participação do Clube institucionalmente em eventos de rua não é comum, mas a diretoria da entidade avaliou que o momento requer um posicionamento mais efetivo.

O Clube tem relação próxima com o presidente, que é capitão reformado do Exército, e com diversos ministros, que são generais. O vice-presidente, general Hamilton Mourão, por exemplo, presidiu a entidade até o fim do ano passado.

A organização não tem relação formal com as Forças Armadas, mas mantém influência junto à caserna, especialmente por ter em seu comando diversos militares da reserva.

Em embates recentes dentro do bolsonarismo, sobretudo com a ala mais ligada ao filósofo Olavo de Carvalho, o Clube defendeu os militares. Essa divisão aparentemente não afetou seu apoio ao governo.

FOLHA DE SÃO PAULO/montedo.com

Skip to content