CAPITÃO E TENENTE DO EXÉRCITO SÃO PRESOS COM 1397 MUNIÇÕES FURTADAS DAS FORÇAS ARMADAS

ANA OLIVEIRA

Capitão e Tenente do Exército presos em Atibaia
Imagem ilustrativa

Um Capitão do Exército, de 34 anos e sua mulher, uma Tenente das Forças Armadas, de 30 anos, foram presos no sábado, 18, em Atibaia. A prisão ocorreu na Rodovia Dom Pedro I, na altura do km 67, no Jardim dos Pinheiros. Eles transportavam 1397 munições de fuzil, furtadas das Forças Armadas. O casal voltava do Rio de Janeiro, quando foi preso.

Conforme o apurado pelo Jornal Bragança Em Pauta policiais militares rodoviários receberam por volta das 17h, denúncia anônima informando que um veículo C3, de placas FNC-5183 seguia do Rio de Janeiro com destino à Campinas.

A informação que os policiais tinham é que dentro do carro era transportado algo ilícito.

Os policiais ficaram atentos e por volta das 20h30,  se depararam com o referido veículo. Foi então que eles efetuaram a abordagem.

A PRISÃO

O carro era era conduzido por um Capitão do Exército, que estava acompanhado da sua esposa, uma Tenente, também das Forças Armadas. Os policiais revistaram o carro e encontraram no assoalho do banco traseiro, atrás do motorista,  uma bolsa preta.

No interior da bolsa havia 28  caixas de munição, de calibre 556 x 45 mm, ou seja, 1397 munições. As munições são da marca CBC e pertencem ao Exército. Já na bolsa da Tenente, os policiais encontraram R$ 3.620,00 e dinheiro.

Questionados sobre a munição e o dinheiro, a mulher permaneceu em silêncio. O capitão, por sua vez, não conseguiu explicar à polícia o que aconteceu.

Os dois foram então levados para a delegacia de Atibaia onde foram ouvidos. Representantes das Forças Armadas foram acionados.

A polícia apurou então que o Capitão tinha livre acesso as munições de uso reservado do Exército, em virtude de sua atividade profissional. Ele é acusado de peculato, ou seja, teria furtado as munições do paiol do 28º BPM de Infantaria Leve. Após o furto, ele levou as munições para o Rio de Janeiro.

O casal foi preso em flagrante por porte ilegal de munições de uso restrito, artigo 16 da Lei 10.826-03.

O Capitão ainda tentou justificar que retirou as munições para ministrar um curso na semana passada. Confessou que para sair do 28º BPM de Infantaria Leve colocou as munições dentro de um mochila. Alegou ainda que o intuito era devolver a munições depois.

O EXÉRCITO

Os representantes do Exército, no entanto, disseram que ele não tinha autorização para fazer a retirada das munições do local. Eles ressaltaram também que sexta-feira, 17, já haviam notado a falta da munição e entraram em contato com o acusado,  que segundo eles, disse na oportunidade, que devolveria a munição no sábado.

Os membros do Exército informaram também à polícia que além das 1397 munições encontradas no veículo também foram furtadas 460 munições de 7,62 mm. A Polícia acredita que estas munições foram vendidas no mercado negro, no Rio de Janeiro.

Cada  munição desta custa, em média, dez reais, e a polícia acredita que o dinheiro encontrado com o casal seria proveniente da venda das munições.

O caso foi registrado em Atibaia e deverá ser investigado. O Capitão e a Tenente do Exército presos em Atibaia foram entregues às Forças Armadas e serão encaminhados para cadeia pertinente.

BRAGANÇA EM PAUTA/montedo.com

Skip to content