As expectativas exageradas e a falta de resultados dos primeiros meses de governo de Jair Bolsonaro derrubaram sua popularidade no país e ameaçam arrastar para baixo também a credibilidade dos militares brasileiros, segundo a avaliação de Mac Margolis, colunista da agência de notícias de economia Bloomberg. Segundo Margolis, Bolsonaro se tornou uma aposta perigosa para as Forças Armadas do Brasil. O colunista explica que as pesquisas nacionais indicam que as Forças Armadas são a instituição em que os brasileiros mais confiam, e “Bolsonaro usou o prestígio dos militares nas eleições e depois recrutou seus membros para seu governo”. Isso, ele explica, em princípio gerou preocupações sobre a estabilidade da democracia brasileira. “Felizmente, os medos se mostraram exagerados”, complementa. “Paradoxalmente, o Exército tem sido uma influência para a estabilidade no governo, contrabalançando os ideólogos de Bolsonaro e descartando aventuras armadas”, diz. Isso, entretanto, é o que ameaça a credibilidade dos militares, segundo ele. “Quando Bolsonaro assumiu o cargo em janeiro, 62% dos brasileiros entrevistados defendiam a ideia de um governo formado por militares de carreira. (…) No mês passado, no entanto, esse entusiasmo público caiu para 49%”, diz. Segundo ele, a queda reflete a perda de 16% na aprovação geral do governo, o que é causado pela falta de avanços especialmente na economia. “Apesar de falar de reformas fundamentais e de um renascimento do livre mercado, o maior motor econômico da América Latina ainda está sem força, com 13,5 milhões de pessoas desempregadas e a indústria paralisada”, diz. Para Margolis, depois dos primeiros meses do governo Bolsonaro, a preocupação com a democracia diminuiu, mas a ligação entre os militares e o governo pode ter seu preço para a popularidade das Forças Armadas. “Por ora, a democracia constitucional provavelmente emergirá sem marcas. Os homens e mulheres brasileiros em verde-oliva talvez não tenham tanta sorte.”

Blog do Brasilianismo/montedo.com

Skip to content