O general Augusto Heleno, ex-comandante da missão da ONU no Haiti (Antônio Cruz/Agência Brasil)

Gustavo Bebianno adiantou em entrevista a ‘O Globo’ que o militar Augusto Heleno deve ser o titular da pasta da Defesa

Quatro ou cinco generais devem compor a equipe ministerial de um eventual governo de Jair Bolsonaro (PSL), disse um de seus principais assessores, o advogado Gustavo Bebianno. Um dos nomes militares que devem ocupar postos-chave na Esplanada é o do general Augusto Heleno, ex-comandante militar da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti, que, segundo Bebianno, deve chefiar o Ministério da Defesa.

Em entrevista ao jornal O Globo, Bebianno disse que as escolhas para os ministérios independem da passagem desses nomes pelas Forças Armadas.

“A escolha não é por ser ou não das Forças Armadas, mas pela competência e desenvoltura que o capitão imagina que a pessoa vá ter. Pelo desenho de hoje, são uns quatro ou cinco (generais)”, disse Bebianno.

Veja/montedo.com

Skip to content