Escolha uma Página
Complexo operacional e administrativo da “Foz do Amazonas” vai abrigar até 3 mil militares. Inauguração ocorreu nesta sexta-feira (26) em Macapá.
Brigada Foz do Amazonas foi inaugurada em Macapá, no Amapá (Foto: Jéssica Alves/G1)
Brigada Foz do Amazonas foi inaugurada em Macapá, no Amapá (Foto: Jéssica Alves/G1)
Jéssica Alves, G1 AP, Macapá
Foi inaugurada nesta sexta-feira (26) pelo Exército Brasileiro a “Brigada Foz do Amazonas”, que funcionará na área de Comando de Fronteira do Amapá. De acordo com o Comando Militar do Norte (CMN), o complexo operacional e administrativo vai abrigar até 3 mil militares, de três batalhões no estado, além do Pará e Maranhão.
A cerimônia de inauguração ocorreu em Macapá e teve a assunção do comando para o general Luiz Gonzaga Viana Filho, que vai liderar a 22ª Brigada de Infantaria de Selva. O comandante reforça que com a nova unidade operacional, o Exército seguirá um plano estratégico de segurança e defesa em áreas de fronteiras na Amazônia e outros países, como Guiana Francesa e Suriname.
“A implantação da brigada permite que o Exército aumente a presença do Amapá na fronteira da Amazônia, em áreas que atualmente se encontram vazias. Com capacidade maior, vamos ampliar a segurança nessas regiões”, destacou o general.
As obras iniciaram em setembro de 2014 e a construção foi orçada em aproximadamente R$ 18 milhões. A Foz do Amazonas vai reunir o corpo da guarda, pavilhão e companhia de comando, além de blocos de alojamento. O 34º BIS será uma das unidades subordinadas à Brigada da Foz, assim como o 2º BIS, em Belém, no Pará, e o 24º Batalhão de Infantaria Leve (BIL), de São Luís, no Maranhão.
Complexo operacional e administrativo vai abrigar militares de três batalhões no estado, além do Pará e Maranhão
(Foto: Jéssica Alves/G1)
De acordo com o Exército, a inauguração estava prevista para 2017, mas atrasos em função de contratos com empresas impediram que o cronograma fosse cumprido.
A brigada também vai oportunizar o crescimento no número de jovens que serão convocados para a corporação. Anualmente, a unidade amapaense contabiliza mais de 8 mil alistamentos. Desses, 200 são selecionados.
O Exército Brasileiro pretende aumentar de 830 para 3 mil o efetivo de militares atuando no Amapá. O crescimento será necessário por ocasião da construção da brigada militar no estado que vai receber soldados e oficiais.
G1/montedo.com
Skip to content