Escolha uma Página
Homem que forjou próprio sequestro para extorquir mulher é sargento da FAB
A mulher do sargento, de 39 anos, entrou com pedido de medida protetiva com urgência contra o companheiro prevista na Lei Maria da Penha. 
O militar foi recolhido ao 6º Comando Aéreo Regional

Isa Stacciarini
Um militar da Aeronáutica acabou preso por forjar um sequestro e tentar receber R$ 600 da própria mulher. O caso aconteceu por volta das 20h20 de domingo (13/3). O sargento de 38 anos pediu que um amigo, já foragido da justiça, ligasse para a companheira e exigisse a quantia para a falsa libertação. Ao marcar o encontro para entregar o dinheiro na QNM 11 de Ceilândia, o colega do militar apareceu em um Fiat Uno junto com o militar.
Dentro do veículo a Polícia Militar encontrou três porções de droga. O sargento assumiu a posse da substância e confessou que mentiu sobre o suposto sequestro para pagar dívida de droga. Policiais conduziram os dois homens à 23ªDelegacia de Polícia (Setor P Sul – Ceilândia).
Segundo a Divisão de Comunicação da Polícia Civil (Divicom), na unidade policial o militar desacatou um agente de polícia e disse que ele não tinha autoridade para prendê-lo. De acordo com a corporação, ele ainda resistiu, xingou outros policiais e chegou a agredir um deles.
A mulher do sargento de 39 anos entrou com pedido de medida protetiva com urgência contra o companheiro prevista na Lei Maria da Penha. O militar passou por exames no Instituto de Medicina Legal da Polícia Civil (IML) da Polícia Civil e foi recolhido ao 6º Comando Aéreo Regional.
Ele deve responder por porte de substância entorpecente para consumo pessoal, lesão corporal, ameaça, tentativa de estelionato, resistência e desacato à Lei Maria da Penha. O amigo foi indiciado por tentativa de estelionato. Não foi arbitrada fiança para o colega do militar.
O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica informou que o sargento é efetivo da Base Aérea de Brasília e confirmou que ele está detido sob custódia do 6º Comando Aéreo Regional (VI Comar) à disposição da Justiça. A audiência está prevista para 21 de março, segundo as forças armadas. A Aeronáutica garantiu, ainda, que colabora com a autoridade policial que conduz as investigações.
Correio Braziliense/montedo.com
Skip to content