Escolha uma Página
perpetua
Leandro Mazzini
Avalizada pelo ministro Aldo Rebelo, a recente nomeação da ex-deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB-AC) como Secretária de Produtos de Defesa passou a incomodar altos oficiais das três Forças Armadas no Ministério da Defesa.
Perpétua passou a controlar contratos bilionários de aquisição de armamentos, munições, veículos e equipamentos, numa aérea comandada há anos por especialistas na pasta.
Para monitorar de perto as ações da ex-deputada, os militares colocaram no gabinete um experiente general.

Leia mais

Aparelhamento da Defesa por comunistas irrita militares

Perpétua passou a dar a última palavra sobre compras, contratos, licitações. Está com a Base Industrial de Defesa nas mãos, com carteira de 220 fornecedores de grande porte, como os braços industriais bélicos da Embraer, Odebrecht, entre outras empresas.
Como deputada, dois anos atrás Perpétua foi presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional na Câmara, e aproximou-se dos militares das Forças.
No início do segundo Governo Dilma Rousseff, foi nomeada como assessora especial na pasta – cargo já ocupado pelo ex-deputado petista José Genoino. Deve-se sua ascensão ao cargo estratégico ao ministro Aldo Rebelo (PCdoB), que assumiu ano passado a pasta.
A assessoria do ministério nega que haja ciúme dos militares, enquanto a caserna ferve.
BLOG COLUNA ESPLANADA (UOL)/ montedo.com
Skip to content