Escolha uma Página
Salário dos MILITARES. Projeto de DILMA pode reduzir benefícios. Últimas notícias.
Essa semana Kelma Costa, líder de associação de MILITARES (UM – União Nacional de Militares), esteve em Brasília e, reunida com alguns parlamentares, cobrou a inclusão de MILITARES das Forças Armadas no projeto que legaliza a representação por meio de associações. Kelma ressalta que não se trata de sindicatos e direito a greve. O projeto PEC 443 apenas permite que militares se façam representar OFICIALMENTE em negociações salariais e discussões sobre assuntos relacionados a carreira, pensões etc.
Atualmente as associações tem que forçar muito a barra para participar das discussões e não tem qualquer poder para opinar ou exigir em nome dos associados. A PEC 443, elaborada com vista a beneficiar policiais militares, é uma oportunidade para que as Forças Armadas evoluam no que diz respeito a representação dos MILITARES.
Em outro momento a presidente da UNIFAX cobra do deputado Capitão Augusto, relator da PEC, o cumprimento da promessa de inclusão dos militares das Forças Armadas. A ativista menciona que a maioria dos membros do Partido Militar, presidido por AUGUSTO, são militares das Forças Armadas e que eles mereceriam essa contrapartida, já que trabalham duramente para a formação do PMB.
Kelma Costa, junto com o DEPUTADO IZALCI, mencionou outra questão importante. O governo apresentou “nas sombras” projeto (PL 3123) que pode prejudicar MILITARES das Forças Armadas. O deputado IZALCI já disse que se manifestou no sentido de modificar o projeto.
O texto estabelece um teto para recebimento de salários e benefícios, mas não teria especificado como exceção os quatro soldos recebidos pelos militares das Forças Armadas no momento da transferência para a reserva renumerada, isso prejudicaria os militares em seu único benefício ao ir para a inatividade, já que não possuem FGTS. O projeto também prejudica militares das Forças Auxiliares na medida em que impede o acúmulo de férias e licenças prêmio.
Izalci e Kelma Costa anunciaram também a criação de uma FRENTE PARLAMENTAR direcionada a solucionar problemas dos Militares das Forças Armadas. A frente já possui mais de 190 parlamentares inscritos. O deputado disse que ainda há TEMPO de MODIFICAR a proposta de DILMA de conceder um reajuste parcelado para os próximos quatro anos.


Revista Sociedade Militar/montedo.com
Skip to content