Escolha uma Página
Prefeitura deve pedir ajuda do exército para normalizar cidade
Prioridade é restabelecer água e energia para bairros mais atingidos
Porto Alegre (RS) – O prefeito em exercício, Sebastião Melo, afirmou à Rádio Guaíba na manhã deste sábado que vai pedir ajuda do Exército para ajudar a normalizar a situação de Porto Alegre após o forte temporal da noite de sexta-feira. “Os estragos foram muito grandes, mas as prioridades são restabelecer energia na cidade, principalmente nos locais que determinam o abastecimento de água; remover tantas árvores quanto for possível; reforçar os agentes de trânsito e também limpar as vias”, disse.
Nesta tarde, a prefeitura vai se reunir com a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), o Corpo de Bombeiros, a Brigada Militar e o Exército, com o qual já há contato desde as primeiras horas da manhã, para criar um plano de esforço concentrado para recuperar a capital gaúcha, que tem áreas sem luz e sem água há mais de 12 horas. As áreas mais atingidas ganharão atenção especial nestes primeiros momentos.
Dentre as medidas já tomadas está o cancelamento do carnaval de rua da Cidade Baixa, um dos bairros mais castigados pelos ventos e pela tempestade. “Nós achamos que era inaquadequado realizar o evento, conversamos com os blocos e, portanto, não teremos carnaval de rua neste sábado”, assegurou Sebastião Melo.
Melo também comentou que é possível pedir um decreto de emergência, mas que, no momento, a maior preocupação da prefeitura é tentar arrumar os maiores estragos causados ainda neste sábado para maior conforto e tranquilidade da população. “Se for necessário fazer, faremos”, falou, não descartando um futuro pedido.
No início da tarde, Sebastião Melo e Paulo de Tarso, presidente da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), vão sobrevoar Porto Alegre para ter maior dimensão da situação e focar o trabalho de restabelecimento de energia. O prefeito em exercício também pede que a população colabore e racione água, já que não há prazo definido para normalização dos serviços.
Correio do Povo/montedo.com
Skip to content