Escolha uma Página
Preso no RS suspeito de matar militar após marcar encontro pelo WhatsApp
Suspeito usou o aplicativo para se passar por sua ex-companheira.
Mulher havia conhecido a vítima em uma festa 5 meses após fim de relação.
Axel servia no 3º Regimento de Cavalaria de Guardas
Um jovem de 21 anos foi preso nesta quinta-feira (17) pelo assassinato do soldado do Exército Axel Fabrício Muniz Mendes, também com 21 anos, em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Segundo a Polícia Civil, o suspeito usou o aplicativo WhatsApp para se passar por sua ex-companheira, que havia conhecido a vítima em uma festa, e marcar o encontro.
“É uma situação repugnante termos um soldado do nosso Exército morto por um traficante. Ele sabia, e não se importou com essa condição de extremo respeito”, lamenta o delegado Marco Guns, responsável pelo caso.
O suspeito, que confessou o crime na delegacia, atuava como traficante, e foi preso outras quatro vezes pelo crime. Ele havia terminado um relacionamento com a mãe de seus quatro filhos há cerca de cinco meses, e ainda a encontrava quando iria buscar os filhos. Em uma destas ocasiões, tomou o celular dela e descobriu uma troca de mensagens com Axel. “Ele deu um soco na cara dela e disse que iria matar aquele ‘milico'”, disse o delegado.

Leia também

Soldado do Exército é morto a tiros no RS

O crime aconteceu por volta da 1h30 de quarta-feira (16) no Bairro Mathias Velho, nas proximidades de onde Axel morava. No local, disparou quatro tiros contra o soldado.
“Na delegacia preso, ele disse que agora a mulher pode até ficar com outros caras, mas não com esse, que está morto. Ele não tem qualquer arrependimento. Ameaçou a mulher de morte em frente aos policiais. Disse que domingo é o primeiro dia de visitas na prisão e, se ela não fosse visitá-lo, ele mandaria alguém matá-la”, relatou o delegado.
G1/montedo.com
Skip to content