Escolha uma Página
Idoso suspeito de vender armas para facção criminosa é preso com submetralhadora na Capital
Imagens: Divulgação/Polícia Civil
Divulgação / Polícia Civil
Porto Alegre (RS) – Entre a noite desta quarta-feira (12) e madrugada desta quinta-feira (13), a 3ª Delegacia do Departamento de Investigações do Narcotráfico (Denarc) prendeu em flagrante um idoso de 70 anos de idade quando ele iria vender uma submetralhadora de procedência israelense para traficantes. Ele caminhava com a arma, no interior de uma maleta, em uma via pública no bairro Santana, em Porto Alegre.
Armas e munição
Depois da abordagem, os policiais foram até a residência do idoso e encontraram mais três armas de calibres .44, 38 e 16. Também apreenderam 412 projéteis dos mais variados calibres, inclusive de fuzil e de outras armas de uso restrito das Forças Armadas. Ainda foram localizados carregadores de fuzil, lunetas e demais acessórios para tiros de alta precisão.
Divulgação / Polícia Civil
Relíquia
Uma das armas, uma Colt .44, foi usada na Revolução Federalista, entre os anos de 1893 e 1895. Esta arma foi entregue durante a campanha pelo desarmamento para a Polícia Federal, que repassou para idoso investigado. Ele também é colecionador. A arma pertenceu a Aparício Saraiva, que era irmão do coronel federalista Gomercindo.
Divulgação / Polícia Civil
Tráfico
O preso é militar da reserva e estava sendo investigado pelo Denarc por vender armas para facções criminosas ligadas ao tráfico de drogas em Porto Alegre. Ele já havia vendido uma submetralhadora, no valor de R$ 20 mil, para a facção criminosa dos Bala na Cara. O idoso foi encaminhado para o Batalhão da Polícia do Exército.
CASO DE POLÍCIA (Rádio Gaúcha)/montedo.com
Skip to content