Escolha uma Página
Agência Brasil
O Ministério da Defesa quer dobrar a número de medalhas conquistadas por atletas militares nos Jogos Olímpicos de 2016. Nos jogos de Londres, em 2012, os competidores ligados às Forças Armadas ganharam cinco das 17 medalhas conquistadas pelo Brasil.
“Estamos nos esforçando para que o Brasil esteja entre os dez primeiros no quadro de medalhas. Os militares defendem ser membros ativos, de modo que o país não só fique, mas permaneça nesse quadro”, disse o diretor do Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa, brigadeiro Carlos Amaral.
O brigadeiro coordena o Programa de Incorporação de Atletas de Alto Rendimento nas Forças Armadas. Pelo projeto, os atletas recebem salários, têm local para treinamento, além de plano de saúde, atendimento médico, odontológico, fisioterápico, alimentação e alojamento. Eles chegam ao programa por meio de concursos para vagas de militar temporário e podem ficar por até oito anos.
A expectativa é que 100 atletas militares participem dos Jogos do Rio. Nos últimos Jogos Panamericanos, em Toronto, no Canadá, a participação de atletas militares chamou atenção, porque, durante a cerimônia de premiação, eles prestavam continência à bandeira do Brasil.
Além dos gastos com segurança, o Ministério da Defesa estima investir R$ 120 milhões na reforma e construção de instalações esportivas para treinamento de atletas. “Vamos deixar para a sociedade um modelo de gestão esportiva, com nossas instalações como centro de alvos de tiro, pistas de atletismo e piscinas”, acrescentou o brigadeiro.
EBC/montedo.com
Skip to content