Escolha uma Página
Paraguai faz queixa contra o Brasil por invasão de soberania
Incidente foi manchete no principal jornal do Paraguai (reprodução: montedo.com)


MARIANA CARNEIRO
DE BUENOS AIRES
O governo do Paraguai fez um protesto formal contra o Brasil por alegada invasão de soberania do país.
Nesta sexta-feira (31), o embaixador brasileiro em Assunção foi convocado à chancelaria paraguaia para ouvir as queixas do governo do país vizinho. Uma carta, com conteúdo semelhante, foi entregue pela embaixada paraguaia em Brasília ao Itamaraty.
A reclamação se deve a uma troca de tiros entre militares brasileiros, supostos contrabandistas e militares paraguaios no rio Paraná, na altura da cidade de Salto del Guairá, que faz fronteira com os municípios brasileiros de Mundo Novo (MS) e Guaíra (PR).
O confronto teria ocorrido em águas paraguaias, na última terça (28) e quarta-feira (29), segundo o jornal paraguaio “ABC Color”.
Uma patrulha de militares brasileiros teria localizado seis barcos de contrabandistas, que tentavam atravessar a fronteira com mercadorias para o lado brasileiro.
Os militares brasileiros trocaram tiros com os contrabandistas e apreenderam as embarcações, que estavam a 100 metros da costa paraguaia. No dia seguinte, ainda segundo o “ABC Color”, o confronto teria sido entre os militares dos dois países. Não há registro de feridos.
O Exército brasileiro lançou, há duas semanas, a operação Ágata, para reprimir os delitos na área da fronteira.
O governo do Paraguai classificou o episódio como um “grave ato contra a soberania paraguaia”.
“O Paraguai mantém uma estreita cooperação com o Brasil na luta contra as diversas formas de delinquência organizada, e espera que, baseado nos princípios de respeito recíproco e cooperação, atos dessa natureza não voltem a se repetir”, diz a nota do governo do Paraguai entregue ao Brasil.
O governo brasileiro negou neste sábado (1º) que militares brasileiros tenham invadido o território paraguaio durante atividades da operação Ágata. O Ministério da Defesa informou que os barcos foram apreendidos do lado brasileiro e que todas as ações aconteceram em território nacional. “O embaixador do Brasil no Paraguai conversou com o ministério e com o Itamaraty e foi informado de que será aberto inquérito para apurar o acontecimento”, diz o comunicado.
Folha/montedo.com
Skip to content