Escolha uma Página
CVM investiga ex-conselheiros da Petrobras por induzir investidor a erro
DA REUTERS
DE SÃO PAULO
CVM investiga General Albuquerque (
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu processo sancionador contra ex-integrantes do Conselho de Administração da Petrobras e um conselheiro atual, para averiguar se induziram investidores da companhia a erro por terem aprovado medidas que inviabilizavam o plano de negócios da estatal.
São alvos da investigação o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, a ex-ministra do Planejamento e atual presidente da Caixa Econômica Federal, Miriam Belchior, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, o ex-secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia e o atual presidente da Eletrosul, Marcio Zimmermann.
Além deles, são investigados também Sérgio Quintella, Jorge Gerdau e José Maria Ferreira Rangel e Francisco Roberto de Albuquerque.
Segundo o órgão regulador do mercado de capitais, o processo visa a apurar a responsabilidade dos investigados na suposta indução dos investidores a erro. Ao aprovarem o Plano de Negócios 2014-18, eles também teriam concordado com uma política de controle de preços de combustíveis do governo que inviabilizava o cumprimento das metas.

Leia também:

Ex-Comandante do Exército é substituído no Conselho de Administração da Petrobrás

Sem tugir nem mugir, general aprovou indicação de Bendine para a Petrobrás.

Dos investigados, apenas o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, segue no Conselho da Petrobras, que foi renovado recentemente.
A abertura do processo acontece em meio às investigações da operação Lava Jato sobre esquema de corrupção envolvendo a estatal. Deflagrada em março de 2014, a operação investiga um grande esquema de lavagem e desvio de dinheiro envolvendo a Petrobras, grandes empreiteiras do país e políticos.
Procurados, Petrobras e BNDES ainda não se manifestaram. A reportagem ainda não conseguiu entrar em contato com os outros investigados.
Folha/montedo.com
Skip to content