Escolha uma Página
São Pedro do Sul
Jovem que forjou desaparecimento não queria ir para o quartel
Jardel Lima Duarte contou que só se alistou pois era sua obrigação
Jovem que forjou desaparecimento não queria ir para o quartel Facebook/Reprodução
Foto: Facebook / Reprodução
Mariana Fontana
O jovem Jardel Lima Duarte, de 19 anos, que desapareceu na última terça-feira e foi encontrado na noite de quinta, contou à reportagem que forjou o próprio desaparecimento.
Duarte tinha medo de ir para o período básico, o chamado “campo”, do qual participaria nesta semana pelo 29º Batalhão de Infantaria Blindada (29º BIB) e resolveu fugir do quartel.
O jovem entrou para o Exército no dia 1º de março e permaneceu no internato básico inicial até o dia 20 do mesmo mês. Segundo ele, foi um período bastante difícil e ele não estava se adaptando:
— Se alguém fazia alguma coisa errada, todos do batalhão eram obrigados a pagar — conta.
O jovem contou que nunca quis entrar para o quartel, mas que se alistou pois era sua obrigação. Desde que começou, já pensava em uma forma de fugir, pois sabia que aquele tipo de serviço não era pra ele.
Duarte estava de serviço no período de sexta-feira para sábado. Ele foi liberado no sábado pela manhã e viajou até o município de São Pedro do Sul para ficar com a família. Na segunda-feira, ele e a irmã vieram a Santa Maria para comprar os itens básicos para levar para o “campo”, como lanterna, cordas, potes de comida e objetos de higiene pessoal.
Na terça-feira, Duarte precisava se apresentar às 17h no 29º BIB. Mas, ao invés de pegar o ônibus de São Pedro do Sul para Santa Maria, ele seguiu a pé em direção a Dilermando de Aguiar e retornou a São Pedro do Sul por volta das 21h. Ele se escondeu em um pavilhão abandonado, que fica aos fundos de sua casa. No local, Duarte permaneceu até às 16h de quarta-feira.
— Eu fiz do meu casaco a minha cama e da toalha de banho o cobertor. E as pessoas me ligavam, mas eu não atendia o celular. Fiquei com medo de voltar pra casa e pro quartel, e pensei até em me matar. Eu nunca quis ir para o quartel — conta ele.
Duarte passou a noite de quarta para quinta-feira embaixo de uma árvore, próximo ao local onde já estava. No início da noite de quinta-feira, resolveu ir até o mercado, que ficava próximo ao terreno onde estava, para comprar alimentos. Na volta, foi surpreendido pela Brigada Militar da cidade. O jovem foi encaminhado para a delegacia, onde prestou esclarecimentos, e retornou para casa. No local, Duarte recebeu atendimento de uma psicóloga.
Na manhã desta sexta-feira, ele esteve no quartel e vai passar por exames e acompanhamento médico a partir de segunda-feira. Ele deve permanecer no quartel após o tratamento.
Segundo o jovem, o Exército só prevê punição caso o militar passe mais de oito dias afastado do quartel sem aviso prévio.
DIÁRIO DE SANTA MARIA/montedo.com
Skip to content