Escolha uma Página
Em visita ao Amazonas, ministro da Defesa garante que projetos do Exército serão mantidos
O ministro da Defesa Jaques Wagner também garantiu que será um ‘soldado’ na batalha para que o trajeto entre os municípios de Porto Velho/Manaus seja viabilizado por meio da BR 319.
Na quarta-feira (4), o ministro desbravará o município de São Gabriel da Cachoeira e distrito Maturacá, fronteiras com a Colômbia e Venezuela.
Na quarta-feira (4), o ministro desbravará o município de São Gabriel da Cachoeira e distrito Maturacá, fronteiras com a Colômbia e Venezuela. (Euzivaldo Queiroz)
LUANA CARVALHO
Manaus (AM) – Durante visita ao Comando Militar da Amazônia (CMA) na manhã desta terça-feira (3), o ministro da Defesa Jaques Wagner declarou que o corte no orçamento federal de 2015 não trará risco de descontinuidade aos projetos prioritários do Exército Brasileiro, mas mostrou-se preocupado em relação a locação dos recursos. Ele também garantiu que será um ‘soldado’ na batalha para que o trajeto entre os municípios de Porto Velho/Manaus seja viabilizado por meio da BR-319.
Diante da atual situação econômica do País, Wagner ressaltou que irá usar sua influência política para proteger e garantir que os projetos estratégicos da Força, inclusive o Sistema de Monitoramento das Fronteira (Sisfron), tenham continuidade. Na quarta-feira (4), o ministro desbravará as áreas de fronteiras no município de São Gabriel da Cachoeira e distrito Maturacá (região da “Cabeça do Cachorro”), que fazem limite com a Colômbia e Venezuela.
“Estamos vivendo um necessário ajuste de contas, isto é normal em todas as economias. É evidente que os projetos que dependem de continuidade serão mantidos. Sou parte do Governo, não me coloco fora do ajuste, mas estou aportando meu capital político e é claro que vou apresentar à Presidente da Republica os eventuais prejuízos de não continuar com projetos importantes”, declarou.
‘Sisfron’
A Amazônia Ocidental, fiscalizada pelo CMA, compreende os Estados de Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima e soma quase 10 mil quilômetros de fronteiras. O Sisfron permitirá um monitoramento total da fronteira seca e aérea do Brasil com investimentos de mais de R$ 12 bilhões em recursos do Governo Federal.
O projeto, de acordo com o comandante do Exército Brasileiro, Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, permitirá um melhor monitoramento em uma das principais rotas do tráfico de entorpecentes do Brasil, a tríplice fronteira que liga o Brasil, Colômbia e Peru.
“A visita do ministro serve para ele verificar os projetos que nós temos em andamento, para quando o orçamento for definido, estes projetos tenham continuidade. O principal deles é o Sisfron, muito importante na contenção do narcotráfico e crimes organizados nas grandes cidades”, comentou. (R. A.)
a crítica/montedo.com
Skip to content