Escolha uma Página
Eva Chiavon assumiu secretaria-geral da Defesa (Imagem: Bocão News)
Segundo informa a Agência Estado (notícia abaixo), a designação de Eva Chiavon, antiga colaboradora do Ministro Jaques Wagner, para o cargo de Secretaria-Geral da Defesa, surpreendeu a cúpula militar. O motivo seria ‘a forte ligação esquerdista’ da substituta de Ary Matos Cardoso, que deixou o cargo.
Se a surpresa foi mesmo verdadeira, passo a acreditar que o espírito da ‘Velhinha de Taubaté’ sobrevive entre os altos coturnos. Acaso o novo ministro não é, ele próprio, um influente quadro do PT? Quem os generais imaginavam que pudesse querer para seu braço-direito? Algum estrelado de pijama? Um diplomado da Escola Superior de Guerra? Um funcionário de carreira sem vínculo partidário?
A catarinense Eva Maria Cella Dal Chiavon é um quadro antigo do PT. Até dezembro, era a secretária-executiva do Ministério do Planejamento, por indicação de Miriam Belchior. Sob Lula, exerceu a mesma função no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, na Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República e no MTE. No Planejamento, já havia sido Assessora Especial em 2003.
Enfermeira, obstetra e  especialista em Saúde Pública e Planejamento Estratégico Público Participativo, Eva ocupa cargos comissionados há muito tempo. Na Câmara Federal, de 1990 a 1998, foi assessora parlamentar na área da Previdência Social do Núcleo Agrário da Bancada do PT, chefe de Gabinete de três deputados federais, entre eles Jaques Wagner. Foi ainda coordenadora técnica do Programa de Saúde da Cooperativa Regional Alfa, na região Oeste de Santa Catarina.
De 1999 a 2002, durante a gestão de Pedro Ucza na prefeitura de Chapecó (SC), foi  secretária de Desenvolvimento Comunitário e Habitação e chefe de Gabinete.
Em dezembro de 2013, foi nomeada por Dilma para o Conselho  de Administração da Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural (PPSA), criada para gerir os contratos do pré-sal.
Como chefe da Casa Civil, foi um nome forte no primeiro mandato de Jaques Wagner no governo da Bahia. Por sua atuação, ficou conhecida como a “Dilma da Bahia” e recebeu o título de Cidadã Baiana.
Por outro lado, sua amizade com o empresário paranaense Reinaldo Pinto dos Santos rendeu-lhe o apelido de “madrinha da TWB”, a concessionária que explora o sistema de ferry boat que opera na orla de Salvador.7
Com informações do Estadão, Jornal da Mídia (Bahia) e Ministério do Planejamento
Skip to content