Escolha uma Página
Morre militar do Exército baleado na cabeça durante tiroteio na Maré
O cabo Michel Augusto Mikami foi ferido por volta das 13h40min, durante uma ação de patrulhamento
Militar servia em Campinas e veio ao Rio atuar na pacificação do complexo de favelas da Maré

Foto:  Reprodução Facebook
Rio – Após mais de sete meses com tropas ocupando a Maré, o Exército registrou nesta sexta-feira à tarde a primeira morte de militar em confronto com bandido no conjunto de favelas. O cabo da Força de Pacificação Michel Augusto Mikami, de 21 anos, foi baleado na cabeça por traficante na Vila dos Pinheiros. Ele foi socorrido e levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila do João e, logo depois, transferido para o Hospital Central do Exército, em Benfica, mas não resistiu. Os criminosos conseguiram fugir.
Vídeo que circula na internet mostra Michel chegando à UPA numa maca, desacordado e com a cabeça enfaixada. De acordo com a assessoria da Força de Pacificação, o militar servia no 28º Batalhão de Infantaria Leve, localizado na cidade de Campinas, em São Paulo.
Segundo a instituição, militares faziam patrulhamento ostensivo na região quando foram atacados por volta das 13h40. Em nota, a Força de Pacificação informou que o ‘Exército Brasileiro se solidariza com a perda e informa que está prestando todo o apoio necessário aos familiares da vítima’.
Pezão lamenta a morte de militar
O governador Luiz Fernando Pezão também lamentou a morte do militar e salientou que, em parceria com o governo federal e a Força de Pacificação, seguirá firme no processo de pacificação daquela comunidade. “Minha solidariedade à família do militar, que perdeu a vida na defesa da paz. Nada nos fará recuar”, garantiu o governador.
Michel era considerado bastante querido entre os militares da Maré. Vaidoso, gostava de exibir fotos fardado e armado em redes sociais. Este não foi o único ataque a militares na Maré. Mais cedo, um blindado da Força de Pacificação caiu num canal na Avenida 2, na localidade conhecida como Conjunto Esperança, após perder a direção depois de ser alvejado por bandidos.
Segundo a Força de Pacificação, durante o tiroteio, o motorista do tanque de guerra fez uma manobra e bateu no meio-fio. Com isso, acabou caindo. Depois do confronto, ninguém foi preso. Houve apreensão de um radiotransmissor. O blindado do Exército não sofreu danos significativos, ainda de acordo com a nota oficial.
A Força de Pacificação está na Maré desde 5 de abril com 2.700 militares ocupando 15 comunidades da região. Em sete meses foram feitas, segundo os militares, mais de 500 prisões.
Em nota, a presidenta Dilma Rousseff amentou a perda: “É com pesar que recebi a notícia da morte de Michel Augusto Mikami, cabo do Exército baleado na cabeça por bandidos durante patrulhamento no conjunto de Favelas da Maré, no Rio, nesta sexta-feira. Ele morreu no cumprimento do dever, na missão de pacificação empreendida pelo Exército Brasileiro. Quero expressar minha dor e minha solidariedade à família e aos amigos de Michel”.
A morte do militar do Exército foi lamentada por Dilma Rousseff. Em nota divulgada no fim da noite de sexta-feira (28), a presidente diz que recebeu com pesar a notícia da morte do cabo Michel Augusto Mikami.
“Ele morreu no cumprimento do dever, na missão de pacificação empreendida pelo Exército Brasileiro”, disse a presidente. “Quero expressar minha dor e minha solidariedade à família e aos amigos de Michel”, acrescentou
O DIA/UOL/montedo.com
Skip to content