Escolha uma Página
A 1ª GUERRA MUNDIAL EM 25 FOTOS COLORIZADAS
No centenário da Primeira Grande Guerra, preparamos um ensaio em cores para celebrar a estupidez humana.
capa
Soldados lutam para levar um homem ferido para Flandres, durante a Batalha de Passchendaele, em 1917.
Rodrigo da Silva
Ela nasceu com um sérvio-bósnio. Gavrilo Princip foi provavelmente o homem mais importante do último século. Ligado à organização terrorista Mão Negra, com apenas 19 anos assassinou o arquiduque – e provável herdeiro do trono do Império Austro-Húngaro – Francisco Ferdinando e sua esposa, Sofia, Duquesa de Hohenberg, durante uma visita à Bósnia. Viveu míseros 23 anos e mudou completamente os rumos da História. Como conta o “atrocitologista” Matthew White (autor de “O Grande Livro das Coisas Horríveis”), num artigo escrito em 1999:
“Eis um homem que, sozinho, provoca uma reação em cadeia que acaba por levar à morte de 80 milhões de pessoas.
Nada mau, hein, Albert Einstein?
Com apenas duas balas, esse terrorista inicia a Primeira Guerra Mundial, que destrói quatro monarquias, conduzindo a um vácuo de poder preenchido pelos comunistas na Rússia e pelos nazistas na Alemanha, que então se enfrentam em uma Segunda Guerra Mundial. (…)
A maioria dos historiadores consideram que este século nasceu em 1914, logo em essência, Gavrilo Princip é o homem que criou o século XX.
Alguns minimizariam a importância de Princip dizendo que, considerando as tensões da época, uma Guerra de Grandes Potências era inevitável mais cedo ou mais tarde; mas digo que ela não era mais inevitável do que, por exemplo, uma guerra entre a Otan e o Pacto de Varsóvia. Sem a fagulha, a Grande Guerra poderia ter sido evitada, e sem ela não teria havido Lenin, nem Hitler, nem Eisenhower.”
Discussões à parte, o fato é que há exatos cem anos o mundo viu explodir a Primeira Grande Guerra. E os seus números impressionam. 70 milhões de soldados travaram um longo conflito, disparando 1,3 bilhões de projéteis. Ao todo foram 10 milhões de mortos e 20 milhões de feridos, 6 milhões de prisioneiros, 10 milhões de refugiados em toda a Europa, 3 milhões de viúvas e 6 milhões de órfãos. Ao todo, calcula-se que a guerra tenha custado US$180 bilhões.
Eis a mágica da estupidez humana. E em cores.
Um sargento em uma vala inundada, em 1917.
Um soldado britânico faz amizade com duas crianças francesas, em junho de 1916.
Soldados britânicos descansam durante uma pausa do dever de linha de frente,
vigiados por homens esperando para tomarem seus lugares.
Oficial britânico observa de longe a destruição de um depósito de munição,
em abril de 1918, antes de se retirar graças ao avanço do exército alemão.
Soldado britânico ajuda um prisioneiro de guerra alemão a acender
um cigarro, em setembro de 1914.
Soldados trazendo rações em recipientes para os homens nas trincheiras.
Temendo um ataque com gás, soldados indianos vestem suas máscaras
ao tomar posição em uma trincheira. O gás venenoso foi usado pela
primeira vez em 1915 e deixou mais de 20 mil mortos durante o conflito.
Leia mais.
SPOTNIKS/montedo.com
Skip to content