Escolha uma Página

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, prometeu
ação semelhante em fronteiras (Bruno Lima/R7)

Os explosivos seriam utilizados para destruir caixa eletrônicos em assaltos a bancos da região


Bruno Lima, do R7, em Brasília
A operação Brasil Integrado apreendeu 5,2 toneladas de explosivos e até um avião clonado no Nordeste. Os artefatos seriam utilizados para destruir caixas eletrônicos. As informações foram divulgadas pelo Ministério da Justiça, nesta sexta-feira (5), no CICCN (Centro Integrado de Comando e Controle Nacional), em Brasília.
O Brasil Integrado começou a ser articulado há cerca de um mês entre governo federal e os nove Estados do Nordeste. Foram três dias de operações conjuntas entre Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, Força Nacional e Exército, semelhante ao esquema montado durante a Copa do Mundo.
Equipes de segurança pública do governo federal e dos Estados atuaram durante três dias na região. As equipes desarticularam quadrilhas de assalto a banco, apreenderam armas, veículos roubados e até um avião clonado em Sergipe. Foram cumpridos 112 mandados de prisão e 105 de busca. Ao todo, 374 pessoas foram presas por envolvimento com crimes.
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, avaliou que os resultados foram além do esperado.
— Os resultados nos surpreenderam positivamente. Se o Brasil passar a integrar nossas ações nós vamos elevar a segurança pública a outro patamar.
Segundo a pasta, 9.291 agentes de segurança atuaram na operação. Foram apreendidos 218 kg de drogas e montadas 984 barreiras policiais em pontos estratégicos. De acordo com Cardozo, a ação conjunta também reduziu o número de homicídios em algumas localidades.
— O aumento de policiamento ostensivo nas ruas reduz imediatamente a taxa de homicídios.
O governo e as demais autoridades em segurança irão se reunir para avaliar todos os aspectos da operação e estudar a ampliação para as demais regiões do País.
Ações em fronteiras
De acordo com o ministro da Justiça a escolha do nordeste para a primeira operação integrada após a realização da Copa do Mundo se deu pela estrutura já instalada na região e pela organização dos secretários públicos dos estados.
O ministro afirmou que a previsão orçamentária do governo para 2015 já prevê recursos para a instalação de CICCN em todo o Brasil. Cardozo afirmou também que uma ação semelhante será realizada nas fronteiras, regiões por onde entram armas e drogas no País.
— Nossa ideia é fazer a mesma ação em regiões de fronteira ainda neste ano. Dialogando mais com as Forças Armadas. Nós pretendemos instalar CICCN em todos os estados para dar apoio às operações.
R7/montedo.com
Skip to content