Escolha uma Página
Solicitações são para São Gabriel da Cachoeira, Itacoatiara e Canutama.
Iranduba teve o pedido indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Diego Toledano
Do G1 AM
Área de São Gabriel da Cachoeira no Amazonas (Foto: Adneison Severiano G1/AM)
Área de São Gabriel da Cachoeira no Amazonas
(Foto: Adneison Severiano G1/AM)
Três municípios do Amazonas poderão receber reforço de forças federais durante as eleições deste ano. Segundo informações do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), Itacoatiara, São Gabriel da Cachoeira e Canutama tiveram os pedidos de reforço realizados na segunda-feira (25). As solicitações, que ainda passarão por análise do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), referem-se a preocupações de que aconteçam embates durante o processo eleitoral. A cidade de Iranduba teve o pedido indeferido.
Em Itacoatiara, o relator da solicitação, Marco Antonio Pinto da Costa, descreveu a necessidade de forças federais por conta de insuficiência de policiais militares para atender os 76 locais de votação e os 55,369 eleitores presentes no município. Segundo dados do pedido, o relator avalia a presença de cerca de dois policias por zona como insuficiente.
Além dos 140 policiais militares presentes no município, a cidade poderá receber também outros 150 para auxiliar nas ações de segurança durante as eleições.
Em São Gabriel da Cachoeira, a solicitação trata sobre a distância de algumas seções eleitorais. Segundo o requerimento, 50 delas encontram-se na zona rural, com mais de 13,4 mil eleitores – metade do total de eleitores da cidade (26,814). Alguns destes locais, conforme o documento, ficam em áreas em que é necessário viajar por 17 dias de voadeira para serem alcançados.
No pedido, é apontado que a cidade receba também apoio da Polícia Militar. Além dos 23 policiais presentes em São Gabriel da Cachoeira, outros 70 seriam necessários para atuar no município durante o período eleitoral.
Já em Canutama, a solicitação trata da necessidade de apoio das Forças Armadas por conta de vários incidentes relacionados a disputas político-partidárias registradas nas eleições de 2008. No documento, a iminência de novos conflitos é descrita para frisar o requerimento. “Entende que haverá acirrada disputa local, vez que postulantes a cargos legislativos estadual têm sua base eleitoral nos municípios daquela calha, ampliando o âmbito de interesse de eventuais participantes do processo eleitoral, pelo qual o deferimento de forças federais nas datas de realização do pleito seria medida impositiva para a necessária estabilização de ordem pública”, descreve o relator.
O município de Iranduba foi o único dos quatro municípios solicitantes de Forças Armadas que teve o pedido indeferido. A cidade havia solicitado o auxílio alegando que os 114 policiais militares no município são insuficientes para atender os 37 locais de votação.
No documento que oficializa a decisão, o TRE explicou que o envio de reforço é uma medida extraordinária. “A requisição de Força Federal é medida de ordem excepcional que somente se justifica quando cabalmente demonstrado, em razão das circunstâncias ou fatos específicos, que o exercício do sufrágio ou a apuração dos votos possam estar comprometidos”, afirmou.
G1/montedo.com
Skip to content