Escolha uma Página
Brasil apoia formação de fuzileiros navais em São Tomé e Príncipe
Militares das Forças Armadas, Guarda Costeira e Guarda Presidencial começaram, esta quarta-feira, 23, uma formação de fuzileiros navais, visando a criação de uma tropa especial de componente naval em São Tomé e Príncipe, no âmbito da cooperação militar com o Brasil.
Durante quatro meses (até Dezembro), 30 militares santomenses frequentarão um curso intensivo, com o apoio técnico e logístico da cooperação militar com o Brasil.
Neste sentido, o encarregado de negócios da embaixada do Brasil em São Tomé, Maurício do Carmo, considerou a formação “um dos desígnios maiores” da cooperação militar entre as duas nações.
“A embaixada do Brasil entende como um passo precioso a presente cooperação, no âmbito militar, que começou com a transferência de bens patrimoniais e de consumo para a Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe”, destacou o diplomata brasileiro, referindo-se à recente oferta de uma fragata àquela componente militar santomense.
Do mesmo modo, Maurício do Carmo indicou que “é uma grande satisfação poder contribuir para o fortalecimento da Guarda Costeira de um país amigo, que comunga os mesmos ideais pacíficos bem impressos na Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul (ZOPACAS), da qual fazem parte o Brasil e São Tomé e Príncipe”.
Por sua vez, o Governo do arquipélago africano considerou “um marco histórico” a realização desta formação. “O Brasil tem sido um grande parceiro de São Tomé e Príncipe no quadro das reformas das Forças Armadas”, referiu o brigadeiro Justino Lima, acrescentando que o “curso visa responder a um desafio nacional e internacional”. (STP-Press)
PINN/montedo.com
Skip to content