Escolha uma Página
A China está mudando as exigências para recrutar soldados para o seu serviço militar. A ideia é atrair um pessoal mais educado e inteligente, segundo o jornal estatal “China Daily”.
Recrutas do sexo masculino podem agora ter altura mínima de 1,60 metro. Antes a exigência era de 1,62 metro. Já para as mulheres a altura mínima foi reduzida para 1,58 metro, segundo o jornal, citando como fonte o setor de recrutamento do Ministério da Defesa. O limite de peso para os homens também foi alterado para “permitir a entrada de mais jovens corpulentos” para o serviço militar.
Padrões de visão foram reduzidos porque cerca de 70% dos estudantes universitários na China são míopes. As doenças mentais, incluindo esquizofrenia, transtorno dissociativo, depressão e transtorno bipolar, também foram removidas de uma lista de condições que impediam o alistamento de candidatos.
A flexibilização nos requisitos mostra como o presidente Xi Jinping tenta aprimorar o maior Exército do mundo — com mais de 2 milhões de soldados. Porém, os esforços dos militares chineses para atrair recrutas mais instruídos para lidar com o seu moderno armamento têm sido prejudicados pelo declínio na saúde dos candidatos. De acordo com o departamento de recrutamento do Exército em Pequim, cerca de 60% dos estudantes universitários não passam no exame de aptidão física, e a maioria dos diplomados está acima do peso.
CINTURA MAIS GROSSA E UNIFORME APERTADO
Hoje, o soldado chinês médio é dois centímetros mais alto e tem uma cintura cinco centímetros maior do que há 20 anos, segundo o “China Daily”. Muitos são grandes demais para caber confortavelmente dentro dos tanques de guerra. A exigência da altura de soldados na China é maior do que a do Exército dos Estados Unidos, que aceita pessoas com 1,52 metro, de acordo com o site Military.
O Exército chinês também será mais tolerante com tatuagens. As pessoas que têm menos de dois centímetros de tatuagens à mostra com o uniforme ou um total de dez centímetros de tatuagens estão agora autorizadas a entrar para o Exército. Mas imagens obscenas, violentas ou referentes a organizações ilegais não serão permitidas.
“Alistar mais soldados de alta qualidade é extremamente importante para a construção de uma força militar forte e capaz”, diz o “China Daily”, citando como como fonte um funcionário do serviço de recrutamento do Exército.
Recrutas com diplomas universitários da província de Jiangsu vão ganhar pelo menos US$ 25.580 mil durante os seus dois anos de serviço, relatou a fonte.
A China está seguindo o exemplo dos Estados Unidos, que vêm aumentando os incentivos para pessoas graduadas servirem nas Forças Armadas.
O Globo/montedo.com
Skip to content