Escolha uma Página
Edivaldo Bitencourt e Filipe Prado
Operação Ágata mobiliza cerca de 30 mil militares em todo o País (Foto: Tereza Sobreira/Ministério da Defesa)
Operação Ágata mobiliza cerca de 30 mil militares em todo o País (Foto: Tereza Sobreira/Ministério da Defesa)
Os traficantes não intimidaram com a 8ª edição da Operação Ágata, que mobiliza 30 mil militares das Forças Armadas na fronteira brasileira, e até ampliaram a remessa de drogas. Só em Mato Grosso do Sul, onde 4,2 mil militares fiscalizam a fronteira, o narcotráfico caiu com 16,7 mil quilos de maconha.
O CMO (Comando Militar do Oeste), com o apoio da Aeronáutica e Marinha, fechou a fronteira com o Paraguai e a Bolívia desde sábado (10). Os militares atuam no combate ao crime organizado, ao contrabando e ao tráfico de drogas e armas.
No entanto, a mega operação, que deve continuar até a Copa do Mundo, que começa no dia 12 de junho deste ano, não intimidou os criminosos. Desde o início da ofensiva, traficantes foram presos com 16,7 toneladas de maconha no Estado.
Ontem, a PRE (Polícia Rodoviária Estadual) apreendeu 9.960 quilos de maconha na MS-240, em Paranaíba, a 422 quilômetros da Capital. A pesagem da carga começou ontem à noite e só foi concluída nesta sexta-feira. É uma das maiores apreensões de droga realizada nos últimos anos no País.
Na quarta-feira, um morador do Paraná foi preso pelo DOF (Departamento de Operações de Fronteira) com 4 mil quilos de maconha. Ele pegou a droga em Paranhos e caiu na barreira montada pela polícia na MS-295, entre os municípios de Tacuru e Iguatemi.
Em duas apreensões na quarta-feira, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) apreendeu 2,5 mil quilos de maconha na BR-158, em Três Lagoas. Em um caso, até houve perseguição policial.
Os criminosos estão ampliando o envio de drogas ao Brasil com perspectiva de faturar com a Copa do Mundo, quando o Brasil deverá receber aproximadamente 600 mil turistas estrangeiros. (R. A.)
CAMPO GRANDE NEWS/montedo.com
Skip to content