Escolha uma Página
Equipamento chamou a atenção da Força Aérea dos EUA por sua eficiência em trazer informações no campo de batalha
Exército norte-americano está estudando o uso do Google Glass
(Reprodução/VentureBeat)
Paulo Guilherme
A Força Aérea dos Estados Unidos está estudando a possibilidade de usar o famoso Google Glass no campo de batalha, segundo o VentureBeat. Algo assim não é uma novidade tão estranha quanto parece, de fato. Isso porque os exércitos norte-americanos já utilizam “tecnologias vestíveis” há algum tempo – nesse caso, normalmente um computador adaptado para ajudar os soldados, que mais parece o protótipo original do Glass.
São esses computadores, aliás, um dos principais motivos para o Google Glass estar chamando tanta atenção da Força Aérea. Por melhores que sejam, esses aparelhos são complicados de se usar no campo de batalha; smartphones, tablets e tecnologias vestíveis, por outro lado, são muito mais fáceis de usar, principalmente em espaços confinados.
Google Glass no campo de batalha
Mas será mesmo que uma tecnologia dessas tem chances de dar certo? De acordo com Anthony Eastin, cientista do time que está testando os Glasses, o desempenho da tecnologia parece promissor.
Nos testes, o Glass se destacou pelo baixo gasto de energia e, principalmente, por não bloquear a visão do soldado – afinal, ninguém quer ter algo assim atrapalhando sua mira na pior hora. Outro ponto em que ele foi elogiado foi em sua capacidade de acessar as informações com grande velocidade, o que é um ponto crucial para o exército americano.
Apesar de tudo, ainda deve levar algum tempo para que o Glass realmente chegue aos campos de batalha. “A questão é: durante o caos da guerra, como a tecnologia vai se sair?” comentou o Dr. Gregory Burnett, chefe engenheiro do projeto. Bem, depois dos testes recentes com ele, fica a certeza: por mais que possa trazer informações importantes, o acessório não deve protegê-lo de nenhuma bala.
TECMUNDO/montedo.com
Skip to content